Aliada de líder polonês chama Lei do Holocausto de 'idiota'

BERLIM, 16 FEV (ANSA) - Uma conselheira do presidente da Polônia, Andrzej Duda, disse que a chamada "Lei do Holocausto", que proíbe que qualquer pessoa associe o país a crimes nazistas, é "idiota" e, como tal, deve ser alterada.   

Zofia Romaszewska, de 78 anos e conselheira para assuntos sociais de Duda, falou sobre o projeto, sancionado em 6 de fevereiro, a uma emissora estatal. Apesar de já estar em vigor, a norma ainda passará pela verificação da Corte Constitucional.   

Para o primeiro-ministro Mateusz Morawiecki, há possibilidade de alterações. "Se a Corte Constitucional estabelecer que a mudança é necessária, partes da nova norma poderiam ser formuladas de maneira mais precisa", disse ele a uma rádio local.   

A Lei do Holocausto indica que a Polônia não pode ser indicada como "cúmplice" ou "coautora" dos crimes nazistas cometidos durante a Segunda Guerra Mundial. Quem não respeitar a diretriz poderá ser punido com até três anos de cadeia, além de pagar uma multa.   

O maior campo de concentração nazista, Auschwitz, fica no sul do país, assim como diversas outras estruturas de tortura subordinadas a Adolf Hitler. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos