Anti-UE, candidato da Liga Norte agora se diz 'europeísta'

ROMA, 17 FEV (ANSA) - Conhecido pela sua postura contrária à União Europeia, o candidato a primeiro-ministro da Itália pelo partido ultraconservador Liga Norte, Matteo Salvini, agora se define como um "europeísta".   

O secretário federal da Liga participou neste sábado (17) da série de entrevistas em vídeo da agência ANSA com os líderes dos principais partidos do país em vista das eleições legislativas de 4 de março. A iniciativa é fruto de uma colaboração com o Facebook, que disponibilizou sua sede italiana para a realização dos encontros.   

"Eu sou um europeísta, mas com a Itália protagonista. No programa da centro-direita, fizemos os aliados concordarem que os tratados [europeus] sejam mudados e que prevaleçam os interesses da Itália", disse Salvini.   

No passado, o líder da Liga Norte chegou a dizer que, se eleito, em seu primeiro dia de governo iniciaria os procedimentos para tirar o país da UE e da zona do euro. Além disso, Salvini já afirmou que o bloco não é "reformável" e deve ser "abatido".   

Contudo, desde o início da campanha, o candidato a primeiro-ministro vem mostrando uma postura mais flexível, declarando até que realizar um plebiscito sobre a moeda comum seria uma "loucura". "Quero permanecer na Europa, mas com a Itália protagonista", disse Salvini neste sábado, em sintonia com praticamente todos os partidos do espectro político italiano.   

Coalizão - O secretário da Liga Norte é um dos três pilares da coalizão de centro-direita que lidera as pesquisas de intenção de voto para 4 de março, ao lado do moderado Força Itália (FI), de Silvio Berlusconi, e do ultranacionalista Irmãos da Itália (FDI), de Giorgia Meloni.   

Além de disputar espaço com a centro-esquerda e o Movimento 5 Estrelas (M5S), a aliança conservadora também abriga uma batalha interna. Tanto Salvini quanto Berlusconi pleiteiam o comando da coalizão, papel que caberá ao partido que for mais votado pelos eleitores - hoje as pesquisas dão vantagem ao ex-premier.   

"Faria de Berlusconi meu ministro. Não vejo a hora de tornar ministras pessoas competentes, setor por setor", declarou Salvini à ANSA, em resposta às recorrentes promessas do ex-premier de colocar o líder da Liga Norte no Ministério do Interior, pasta responsável pela gestão migratória e da segurança no país.   

"A Liga terá um voto a mais que todos os outros da centro-direita", garantiu Salvini, que também prometeu "fechar a torneira" da imigração clandestina no Mediterrâneo. Outras de suas promessas são a abolição da "Lei Fornero" - a reforma previdenciária da Itália - e a criação de uma alíquota única do imposto de renda, a chamada "flat tax". (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos