PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Papa Francisco prepara documento sobre 'santidade'

28/02/2018 18h25

CIDADE DO VATICANO, 28 FEV (ANSA) - O papa Francisco está preparando um documento sobre a "santidade". A revelação foi feita nesta quarta-feira (28) pelo cardeal Óscar Rodríguez Maradiaga, que coordena o "C9", conselho convocado pelo Pontífice para reformar a Cúria Romana.   

"Ouvi apenas uma voz distante que diz que o Papa está preparando um belo documento sobre a santidade", declarou Maradiaga, durante a apresentação de um livro sobre Jorge Bergoglio no Vaticano. "Todos somos chamados à santidade, se não ouvirmos esse chamado, a reforma não andará", acrescentou, sem entrar em detalhes sobre o documento.   

A 23ª sessão do "C9", grupo formado por nove cardeais, terminou nesta quarta-feira e discutiu maneiras de acelerar a tramitação de casos de pedofilia pela Congregação da Doutrina da Fé, segundo o diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Greg Burke. O porta-voz não especificou quais opções foram apresentadas, à exceção da criação de "diversos tribunais regionais" pelo mundo.   

A Congregação para a Doutrina da Fé é a responsável por julgar, no direito canônico, casos de abuso sexual contra menores, mas são frequentes as críticas de vítimas quanto à lentidão do Vaticano em processos do tipo.   

Ainda segundo Burke, o C9 também discutiu medidas para reduzir os custos e o déficit operacionais da Santa Sé e decidiu redigir um manual para os órgãos ligados à Igreja Católica diminuírem seus gastos.   

Outras propostas estudadas pelos nove cardeais foram a criação de um departamento para cuidar dos recursos humanos do Vaticano e a descentralização das conferências episcopais. "Uma centralização excessiva, ao invés de ajudar, complica a vida da Igreja e sua dinâmica missionária", afirmou o porta-voz da Santa Sé.   

Cada dicastério está tendo sua estrutura avaliada e revisada pelos cardeais, com a meta de descentralizar a administração católica. Uma das ideias já discutidas prevê que bispos tenham permissão para autorizar que um diácono permanente viúvo se case novamente ou vire padre.   

"A reforma caminhou em pontos preciosos, por exemplo sobre o colégio de cardeais, mas, como nos disse o Papa, a reforma não é de estruturas, e sim de pessoas", declarou Maradiaga. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Internacional