Advogado holandês é o 1º condenado do 'caso Rússia'

WASHINGTON, 03 ABR (ANSA) - A Justiça dos Estados Unidos emitiu nesta terça-feira (3) a primeira sentença do chamado "caso Rússia", que investiga supostos conluios entre membros da campanha de Donald Trump e representantes de Moscou.   

O advogado holandês Alex van der Zwaan, baseado em Londres, foi condenado a 30 dias de prisão e US$ 20 mil de multa por ter mentido ao FBI e não ter fornecido documentos pedidos pelo procurador especial Robert Mueller.   

Van der Zwaan admitiu ter dado declarações falsas sobre suas relações com Rick Gates, ex-conselheiro da campanha de Trump, e sobre as ligações do assessor com os serviços secretos militares russos. O próprio advogado confessou os delitos.   

Gates, também investigado no "caso Rússia", era o braço-direito de Paul Manafort, ex-chefe de campanha do magnata republicano.   

Tanto Gates quanto Manafort são acusados de conspiração, lavagem de dinheiro e evasão de divisas ao terem feito lobby para um partido ucraniano pró-Moscou O advogado holandês trabalhou para um escritório de direito, Skadden, Arps, Slate, Meagher & Flom, que defendia o ex-presidente da Ucrânia Viktor Yanukovich, apoiado pelo Kremlin, e atuava em parceria com Manafort. Além disso, Van der Zwaan é genro de um dos homens mais ricos da Rússia, German Khan. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos