Ex-ministro da Argentina é indiciado por caso Odebrecht

ROMA, 04 ABR (ANSA) - Acusado de corrupção, o ex-ministro do Planejamento da Argentina Julio de Vido foi indiciado nesta terça-feira (3) pelo crime de "negociações incompatíveis com a função pública" no processo decorrente do escândalo da Odebrecht.   

Segundo o juiz federal Daniel Rafecas, Vido foi indiciado por ter supostamente favorecido a construtora Odebrecht no leilão de dois contratos para reformar dois gasodutos na Argentina. Além do ex-ministro, o ex-secretário de Energia Daniel Cameron também foi indiciado.   

A obra foi projetada entre 2006 e 2008, e atualmente está sob responsabilidade da construtora brasileira. As reformas dos gasodutos foram avaliadas em cerca de US$ 2,3 bilhões. O juiz do caso suspeita que a cifra ocultou um superfaturamento de US$ 800 milhões.   

A Odebrecht na Argentina está sendo processada por irregularidades nas ampliações de dois gasodutos, de uma ferrovia em Sarmiento e por fim, de duas usinas de tratamento de água.   

Por 12 anos, durante os governos de Néstor e Cristina Kirchner, De Vido era o homem que controlava todas as obras públicas do país. O ex-ministro foi o único a se manter no cargo do primeiro ao último dia do kirchnerismo.(ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos