França enfrenta 2º dia de greve contra reforma de Macron

PARIS, 04 ABR (ANSA) - O presidente da França, Emmanuel Macron, enfrenta nesta quarta-feira (4) o segundo dia de greve, de uma série prevista para durar três meses, contra as reformas trabalhistas impostas pelo seu governo.   

Assim como o primeiro dia, realizado ontem (3), a paralisação de diversos funcionários da Sociedade Nacional de Ferrovias (SNCF, na sigla em francês) afetou milhões de usuários.   

Hoje (4), segundo a SNCF, operaram no país apenas um em cada sete trens de alta velocidade (TGV) e somente um em cada cinco trens regionais. Os sindicatos estimulam que mais de cinco milhões de pessoas sejam afetadas pela greve.   

Os protestos estão sendo liderados pelos funcionários da SNCF, e o movimento está sendo apoiado pelos setores de energia e coleta de lixo.   

A greve provocou um caos no trânsito nas principais cidades francesas. Segundo as autoridades, somente pela manhã, na região de Paris, já era registrado um engarrafamento de mais de 350 quilômetros.   

A greve geral, a princípio, irá ser realizada em dois dias a cada semana até o dia 28 de junho.   

A reforma ferroviária de Macron tem como objetivo encerrar o estatuto exclusivo de aposentadorias, o fim da estabilidade de emprego e a extinção de benefícios, como bilhetes grátis de trem para toda a família. O projeto ainda visa acabar com o monópolio da SNCF e abrir concorrência internacional.(ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos