Após derrota, Lula diz a aliados que está fora das eleições

SÃO PAULO, 5 ABR (ANSA) - Ao acompanhar o julgamento de seu pedido de habeas corpus negado, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teria declarado a um grupo de aliados que o Supremo Tribunal Federal (STF) não daria golpe para deixá-lo ser candidato.   


A informação, revelada nesta quinta-feira (5) pelo jornal "Estado de São Paulo", teria sido declarada logo depois do voto decisivo da ministra Rosa Weber.   


O comentário foi interpretado por lideranças petistas como uma confirmação de que o ex-presidente está fora da disputa eleitoral, apesar dos militantes do partido manterem um discurso favorável a candidatura. De acordo com o deputado estadual, José Américo Dias (PT), "isso foi para tentar tirar o Lula da eleição, mas podemos registrar a candidatura dele, mesmo preso. Acredito que Lula vai ficar pouco tempo na prisão".   


Ontem (4), Lula acompanhou o julgamento no sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo do Campo, em São Paulo, com Dilma Rousseff, líderes dos PT e sindicalistas.   


Ainda de acordo com o jornal brasileiro, diversos petistas iniciaram uma campanha nas redes sociais usando a hashtag #LulaValeALuta. A ideia é reanimar todo o eleitorado de Lula.   


Após mais de 10 horas de julgamento, o STF negou por 6 votos a 5 o habeas corpus da defesa de Lula. O petista foi condenado em primeira instância pelo juiz Sergio Moro a nove anos e seis meses de prisão. No entanto, sua pena foi aumentada para 12 anos e um mês na segunda instância. O ex-presidente é acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso envolvendo um tríplex no Guarujá. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos