Topo

Polícia italiana fecha canal pró-Estado Islâmico no Telegram

07/04/2018 15h35

ROMA, 7 ABR (ANSA) - A polícia de Trieste, na Itália, identificou um menor de idade que participava de conversas privadas em diversos canais do Telegram nos quais eram difundidas mensagens de propaganda do Estado Islâmico.   

O menor é acusado de conduzir atividades de proselitismo a favor do EI, a partir a difusão e tradução dos conteúdos, inclusive em italiano. Dentre os chats descobertos pelos investigadores, há um em que uma jovem pedia a outros participantes que lhe explicassem como fazer "para passar um cinto explosivo por uma porta automática".   

Havia, inclusive, uma tradução em italiano do texto de reivindicação do atentando terrorista de 19 de dezembro de 2016, em Berlim, no canal "Khilafah News Italia".   

O canal era frequentado por aproximadamente 200 usuários e era usado com "uma dupla função": encaminhar o conteúdo a todos os apoiadores e simpatizantes do Estado Islâmico presentes na Itália e de indicar, em nível internacional, a presença de uma "vertente italiana ativa".   

A polícia também informou que o menino demonstrava "uma forte determinação para desenvolver uma liderança e era um ponto de referência para todas as pessoas que tinham a intenção de participar da causa jihadista".   

O garoto, inclusive, criara seu próprio canal, que contava com 60 membros. Através do "Estado Islâmico Fronteira da Europa", compartilhava conteúdos em espanhol, francês e italiano. Agora um grupo de psicólogos fará acompanhamento do jovem para recuperá-lo e "desradicalizá-lo".   

Além disso, terá conselhos de um imã para que forme uma visão "mais ampla" do Islã. Segundo a polícia, ele vinha "de uma família tranquila que vive de trabalho honesto" e, ainda que fosse de origem argelina, não seguia os preceitos radicais do islamismo. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.