Criador do maior partido da Itália acusa 'golpe' no Brasil

ROMA, 10 ABR (ANSA) - Após o Partido Democrático (PD), de centro-esquerda, mais uma legenda política italiana se pronunciou contra a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O fundador do antissistema Movimento 5 Estrelas (M5S), Beppe Grillo, afirmou nesta terça-feira (10) que o petista é alvo de "perseguição" e denunciou um "golpe de Estado" no Brasil.   

Comediante de carreira, Grillo se afastou do dia a dia do M5S, partido mais popular da Itália, porém continua sendo o principal rosto do movimento, que tenta costurar alianças para assumir o governo do país.   

"Um só grito está emanando das ruas das cidades brasileiras. Um grito potente, libertador, que pede justiça, que acompanha os cantos, as lágrimas, as vozes em uníssono, de um povo que repete ininterruptamente: 'Lula presidente, guerreiro do povo'. Luiz Inácio Lula da Silva, ex-presidente do Brasil, símbolo de esperança, coragem e honestidade, preso por não ter cometido nenhum crime", diz Grillo em um texto publicado em seu blog.   

O post tem o título "Lula vale a luta", em português mesmo, e também afirma que o juiz Sérgio Moro condenou o ex-presidente para impedir sua participação nas eleições de 2018. "Lula representa essa enorme parcela da população pobre que não tem voz, direitos e visibilidade, em conflito perene com os poderes fortes", acrescenta.   

Além disso, Grillo ainda criticou o presidente Michel Temer, acusando-o de "privatizar tudo o que fosse possível", incluindo o pré-sal, "um verdadeiro tesouro para o Brasil" - o M5S tem cerca de 35% do Parlamento e tenta angariar aliados para assumir o governo nacional pela primeira vez, o que o faria lidar diretamente com a gestão Temer em assuntos bilaterais, como a extradição de Cesare Battisti.   

"Lula vale a luta, como demonstração de solidariedade a este grandíssimo homem, do olhar bom, de mãos fortes de metalúrgico e com um coração que sempre bateu pelos mais vulneráveis; fortemente amado por seu povo e, por isso, bloqueado pelos lobbies do poder, vítima de uma perseguição política à luz do dia. Que diferença há entre o que ocorreu e um golpe de Estado?", conclui Grillo.   

Entre os grandes partidos italianos, apenas Matteo Salvini, secretário da ultranacionalista Liga, elogiou a prisão de Lula, afirmando que a Justiça do Brasil deu um sinal de "liberdade e mudança". Já o PD, rival do M5S, por meio de seu presidente, Matteo Orfini, afirmou que o processo contra o petista é de uma "gravidade inaudita".   

Além disso, pediu para a União Europeia enviar uma delegação para verificar as condições de Lula na cadeia. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos