Topo

Réu por matar italiano em Natal pode pegar prisão perpétua

11/04/2018 14h42

ROMA, 11 ABR (ANSA) - O Ministério Público de Civitavecchia, no centro da Itália, pediu a condenação à prisão perpétua de Pietro Ladogana, romano de 47 anos e acusado de ser o mandante do assassinato do italiano Enzo Albanese, 42, ocorrido na cidade brasileira de Natal (RN).   

A posição da Procuradoria foi formalizada nesta quarta-feira (11), na Corte de Apelação de Roma, que anunciará sua sentença na semana que vem. Albanese foi morto a tiros em 2 de maio de 2014 e era originário de Milão. Ex-tenente dos carabineiros (a polícia militar da Itália), ele vivia no Brasil havia oito anos.   

No país, cuidava de uma clínica estética e era diretor técnico de um time de rúgbi chamado Alecrim. O crime ocorreu na entrada da casa de Albanese, em um bairro da zona sul de Natal. Ladogana foi preso poucos dias depois, no Aeroporto de Fiumicino, em Roma, quando ia embarcar para o Brasil.   

O motivo do homicídio, segundo a polícia italiana, seria uma denúncia feita pela vítima sobre ilegalidades envolvendo um terreno. Os investigadores apontam o policial brasileiro Alexandre Douglas como executor material do assassinato.   

"Foi um homicídio desprezível, motivado por cobiça, premeditado.   

As pistas coletadas confirmam que foi Ladogana a armar a mão de Douglas", afirmou a procuradora Allegra Migliorini. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.