PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Após 10 dias de protestos, premier da Armênia renuncia

23/04/2018 11h54

MOSCOU, 23 ABR (ANSA) - Após passar apenas uma semana no cargo, o primeiro-ministro da Armênia, Serzh Sargsyan, anunciou nesta segunda-feira (23) sua renúncia, em meio aos protestos que tomaram conta do país nos últimos 10 dias.   

Sargsyan, pró-Rússia, foi presidente entre 2008 e 2018, após ter sido eleito em uma votação bastante contestada pela oposição, e realizou uma reforma constitucional que mudou o sistema político armênio do semipresidencialismo para o parlamentarismo - ele não poderia se candidatar novamente a presidente.   

Em seguida, renunciou ao cargo de chefe de Estado e, em 17 de abril, foi eleito primeiro-ministro pela Assembleia Nacional. A manobra desencadeou uma onda de protestos no país, capitaneados pelo líder de oposição Nikol Pashinyan, alinhado à União Europeia e que definiu as manifestações como "revolução de veludo".   

Os atos foram violentamente reprimidos e terminaram com a prisão de centenas de opositores, incluindo Pashinyan, mas a multidão continuou mobilizada e forçou a renúncia de Sargsyan.   

"Nikol Pashinyan tinha razão: a situação criada tem algumas soluções, mas eu não as escolherei. Deixo o cargo de líder e primeiro-ministro. Os movimentos de rua são contra meu governo, então atendo seu pedido e desejo paz e harmonia para nosso país", diz uma nota do ex-presidente.   

A renúncia foi celebrada por dezenas de milhares de pessoas na capital armênia, Yerevan. O vice-primeiro-ministro Karen Karapetyan foi nomeado para governar o país interinamente.   

(ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Internacional