Ciclista italiano ganha cidadania honorária de Israel

JERUSALÉM, 02 MAI (ANSA) - Às vésperas do início do Giro d'Italia 2018, o ciclista italiano Gino Bartali (1914-2000) foi homenageado nesta quarta-feira (2), em Jerusalém, com a cidadania honorária de Israel.   


A cerimônia ocorreu no Memorial do Holocausto, o Yad Vashem, na cidade que receberá a etapa de abertura de uma das provas mais importantes do ciclismo mundial. "O povo e o Estado de Israel recordarão sempre Gino Bartali, campeão no esporte e na vida", afirmou o presidente da entidade, Avner Shalev.   


A cidadania honorária foi entregue a Gioia Bartali, neta de Gino. "Bartali não desistiu de fazer do mundo um lugar melhor", declarou o embaixador italiano em Israel, Gianluigi Benedetti.   


Bartali foi homenageado por ter ajudado a salvar cerca de 800 judeus entre 1943 e 1944, durante a ocupação nazista na Itália.   


O ciclista usava os tubos de sua bicicleta para transportar documentos falsos a partir de Assis, onde havia uma gráfica clandestina, até o bispo de Florença, que os distribuía a judeus perseguidos. Bartali também recebeu o título de "Justo entre as Nações", concedido pelo governo israelense a não-judeus que tenham se arriscado para ajudar vítimas do Holocausto, em 2013.   


Se tivesse sido descoberto, o ciclista seguramente teria sido fuzilado pelas forças nazifascistas. A edição de 2018 do Giro d'Italia começará na próxima sexta-feira (4), em Jerusalém - será a primeira vez na história em que a prova terá uma etapa fora da Europa.   


O circuito ainda inclui outros dois trechos em Israel, antes de seguir para Catânia, na Itália, em 8 de maio. Gino Bartali venceu o Giro em três ocasiões: 1936, 1937 e 1946. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos