'Greve' adia processo contra Berlusconi por corrupção

SIENA, 04 MAI (ANSA) - Uma greve de advogados adiou para 26 de julho a primeira audiência do processo contra o ex-primeiro-ministro da Itália Silvio Berlusconi, 81 anos, por corrupção do sistema judiciário em Siena.   

A sessão devia ter ocorrido na última quinta-feira (3), mas os juízes tiveram de alterar sua data após os advogados do líder conservador terem aderido a uma paralisação coletiva em protesto contra a não aprovação de uma reforma penitenciária.   

O processo se chama "Ruby ter" e acusa Berlusconi de ter dado dinheiro a Danilo Mariani, pianista das festas que ele concedia em sua mansão em Arcore, em Milão, para induzi-lo a prestar falso testemunho sobre suas noitadas com prostitutas.   

O ex-primeiro-ministro teria mascarado o pagamento de 3 mil euros por mês com o título de "reembolso de despesas". O pianista também é réu no processo. O "Ruby ter" nascera em Milão, mas foi desmembrado entre sete províncias italianas, de acordo com o local onde os crimes teriam ocorrido.   

No caso de Mariani, as supostas propinas teriam sido pagas em Siena. Berlusconi também já foi denunciado por corrupção de testemunhas pelos Ministérios Públicos de Turim e Roma. A suspeita é que ele tenha comprado o silêncio de depoentes no processo "Ruby", no qual foi absolvido dos crimes de prostituição de menores e abuso de poder.   

Entre 2010 e 2014, Berlusconi teria gastado mais de 10 milhões de euros para manipular testemunhas. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos