Presidente do Pulitzer renuncia após acusação de abuso

NOVA YORK, 11 MAI (ANSA) - O presidente do Prêmio Pulitzer, o escritor norte-americano Junot Díaz, renunciou ao cargo nesta sexta-feira (11) após ser denunciado por agressão sexual por uma jovem. De acordo com a organização da premiação, Díaz será alvo de uma investigação independente, mas permanecerá fazendo parte do conselho.   


O escritor de 49 anos, nascido na República Dominicana, foi acusado pela jornalista Zinzi Clemmons de tentar beijá-la à força há seis anos, quando ela ainda era uma estudante na Universidade de Columbia.   


No início do mês passado, ele escreveu um artigo para tentar justificar o abuso, que, segundo Clemmons, não foi o único. Na publicação na revista "New Yorker", Díaz assume ter sido violentado quando era criança e afirma que é vital ensinar aos homens sobre o consentimento. "Eu assumo a responsabilidade por meu passado. Essa é a razão pela qual tomei a decisão de contar a verdade sobre meu estupro e suas consequências prejudiciais. Essa conversa é importante e deve continuar", disse.   


Díaz ainda afirmou que tem aprendido muito com as "histórias das mulheres nesse movimento cultural essencial e atrasado. Devemos continuar ensinando a todos os homens sobre o consentimento e os limites". Segundo o vencedor do Prêmio Pulitzer em 2008 pelo livro "A fantástica vida breve de Oscar Dao", a agressão lhe rendeu traumas durante toda a vida, como infidelidade, alcoolismo, insônia e depressão.   


O cargo será assumido temporariamente por Eugene Robinson, colunista do jornal "The Washington Post". (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos