Topo

Líderes mundiais parabenizam novo governo italiano

01/06/2018 15h06

ROMA, 01 MAI (ANSA) - O jurista Giuseppe Conte tomou posse nesta sexta-feira (1º) como premier da Itália, junto com um gabinete formado por 18 ministros, e recebeu mensagens de diversos líderes mundiais.   

Uma das primeiras a se pronunciar foi a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, que disse estar "aberta" para colaborar com o novo governo italiano. Já o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, afirmou ter "plena confiança na capacidade e vontade do novo governo de se empenhar construtivamente como parceiro das instituições da União Europeia para manter o papel central da Itália no bloco".   

O ex-primeiro-ministro e senador do Partido Democrático (PD) Matteo Renzi, derrotado nas últimas eleições, desejou um "bom trabalho ao premier Conte e à sua equipe. "Estamos radicalmente distantes da maioria que sustenta o governo e faremos uma oposição civil. Mas o boa sorte é sincero. Viva a Itália, viva a Festa da República", acrescentou Renzi.   

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, também exprimiu suas felicitações a Conte. "Conto que sua atividade no governo contribua para o desenvolvimento e a colaboração construtiva russo-italiana em diversos setores", disse por meio de uma nota.   

Outro país que demonstrou apoio ao novo governo foi a China. De acordo com a porta-voz do Ministério de Relações Exteriores, Hua Chuniyng, o país "está pronto para colaborar com o novo governo e aprofundar uma confiança recíproca e uma cooperação pragmática, fazendo avançar a parceria estratégica global com a Itália".   

O presidente do Parlamento Europeu, Antonio Tajani, que é italiano, convidou Conte a comparecer à sede do órgão em Estrasburgo para "discutir com os deputados europeus as ideias e propostas do seu governo para o futuro da União Europeia".   

Imprensa - A posse de Giuseppe Conte, além de assunto entre líderes globais, também foi destaque de jornais do mundo todo.   

"Uma administração eurocética no poder da Itália, a terceira economia da Europa", escreveu o "Wall Street Journal", dos EUA.   

O jornal também ressalta a figura de Giovanni Tria, indicado como ministro de Economia: "Um economista que criticou a zona do euro afirmando que fracassou o objetivo de alcançar a convergência entre as diversas economias que compõem a área do euro e de eliminar os desequilíbrios econômicos".   

Já no Reino Unido, a revista "The Economist" repercutiu a ascensão de Conte com um desenho de um sorvete com as cores da bandeira italiana e um título que diz "manusear com cuidado".   

Por outro lado, diários como "Financial Times" e "The Guardian" dão ênfase ao caráter "populista" do novo governo.   

A "BBC" manteve uma postura mais neutra, indicando o "consenso sobre um novo governo na Itália". Já o tabloide "Daily Mail" aponta Conte como "um advogado pouco conhecido".   

Na Alemanha, o jornal de Economia "Handelsblatt" optou por uma imagem significativa: o "país da bota" se deslocando do continente, com o sul da Itália afundando no mar e uma legenda que diz "ciao, bella". O veículo também destacou "como a Itália põe em risco a existência do euro".   

O "Frankfurter Allgemeine Zeitung" descreve que "a Itália precisará de investidores por um longo período", mas "que a pior tempestade, ao menos por ora, foi superada". "Secessão. Inimigos da Europa de direita e esquerda conquistaram a Itália e alimentaram o ódio contra a Alemanha. Como foi possível chegar a isso?", questiona Angelo Bolaffi, no "Sueddeutsche Zeitung".   

Por fim, o francês "Le Monde" indica como "a coalizão populista conseguiu formar um governo". (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.