Venezuela anuncia libertação de 39 presos políticos

CARACAS, 01 JUN (ANSA) - O presidente do Tribunal Supremo de Justiça (TSJ) da Venezuela, Maikel Moreno, anunciou nesta sexta-feira (1º) a libertação de 39 pessoas presas por "delitos de violência política", incluindo o ex-prefeito de San Cristóbal Daniel Ceballos, protagonista de uma rebelião pouco antes das eleições.   

A soltura de presos políticos havia sido prometida pelo presidente Nicolás Maduro na cerimônia de juramento para seu segundo mandato, em 24 de maio. De acordo com o líder chavista, serão libertadas todas as pessoas detidas por "violência política" e que não tenham cometido "crimes graves ou homicídios".   

Organizações de direitos humanos dizem que a Venezuela possui mais de 300 presos políticos, mas Caracas não reconhece esse número. As libertações serão analisadas por uma "comissão da verdade" criada pela Assembleia Nacional Constituinte, dominada pelo chavismo e formada para suplantar o Parlamento, cuja maioria está nas mãos da oposição.   

"Nossa proposta é que termine a perseguição política, porque não teria sentido se as prisões recomeçassem 24 horas depois de retornarmos a nossos estados", disse um grupo de governadores de oposição, formado por Leidys Gómez (Táchira), Antonio Barreto Sira (Anzoátegui), Ramón Guevara (Mérida) e Alfredo Díaz (Nueva Esparta).   

Eles tiveram uma reunião com Maduro em Caracas para discutir a libertação de presos políticos. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos