Políticos do MDB são investigados por morte de Marielle

SÃO PAULO, 10 AGO (ANSA) - A Polícia do Rio de Janeiro estaria investigando três políticos do partido MDB, o mesmo do presidente Michel Temer, que estariam envolvidos nos assassinatos da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes, crime cometido em março, no Rio de Janeiro.   


De acordo com uma reportagem da revista "Veja", os políticos seriam os deputados da Assembleia Legislativa do Estado (Alerj) Jorge Picciani, Edson Albertassi e Paulo Melo. Todos eles estão presos desde o ano passado, acusados de envolvimento com a máfia de empresários de ônibus.   


A revista ouviu o deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL), que confirmou a informação e contou que participara de uma reunião no Ministério Público Federal com procuradores para analisar uma possível conexão entre os assassinatos e os políticos do MDB. O crime poderia ter sido uma tentativa de atingir Freixo, responsável pelo ingresso de Marielle na política, e a quem chamava de "filha".   


Freixo, que atuou na CPI das Milícias, já sofreu várias ameaças de morte e anda em carros blindados, protegidos por policiais militares, há 10 anos. Oficialmente, a Polícia Civil evita comentar o caso e alega que a investigação corre sob sigilo. Marielle foi morta com vários tiros na cabeça, dentro de um carro, no Rio de Janeiro, em 14 de março. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos