PUBLICIDADE
Topo

Áudio de porta-voz sobre economistas gera polêmica na Itália

22/09/2018 12h37

ROMA, 22 SET (ANSA) - Uma mensagem de áudio privada enviada por Rocco Casalino, porta-voz e chefe de comunicações do primeiro-ministro italiano, a dois jornalistas do "HuffPost", no qual faz acusações contra os líderes do Ministério de Economia e Finanças (MEF), tem gerado polêmica na Itália neste sábado (22).   

Na gravação, divulgada pelo jornal italiano "La Repubblica", Casalino acusa os representantes da pasta de querer impedir os planos do Movimento 5 Estrelas (M5S) e afirma que o partido está pronto para desencadear uma "mega vingança" contra esses "pedaços de merda".   

A mensagem de Casalino é parte da discussão que vem acontecendo há vários dias sobre a próxima lei orçamentária. A Liga e o M5S estão tentando concordar com o ministro da Economia, Giovanni Tria, sobre como financiar as reformas prometidas durante a campanha eleitoral, como renda de cidadania e reforma previdenciária.   

Sob pressão da crescente popularidade da Liga, os líderes do partido de Luigi Di Maio querem usar a lei orçamentária para reequilibrar a situação com seus aliados, direcionando a maior quantidade possível de recursos para as reformas que consideram mais urgentes, como a renda da cidadania.   

Na mensagem, Casalino explica que descobriu que Tria teria autoridade limitada porque "há um número de pessoas que estão lá há anos, há décadas, e que têm todo o mecanismo em suas mãos e protegem o sistema usual".   

Em nota oficial, o porta-voz do premier afirma que a revelação do áudio "viola o princípio constitucional da proteção de confidencialidade das comunicações e, se for estabelecido que ele foi deliberadamente espalhado pelos destinatários, viola as regras éticas mais elementares que impõe sigilo neste tipo de troca de opiniões".   

De acordo com Casalino, esta é "uma conversa absolutamente privada que teve com dois jornalistas".   

O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, apoiou seu funcionário e afirmou que "tendo esclarecido que é uma mensagem privada", ele se recusa "a entrar nos méritos de seu conteúdo".   

"Reitero a minha confiança total nos porta-vozes e aproveito esta oportunidade para reiterar a compacidade completa e unidade do governo na elaboração das medidas econômicas", ressaltou.   

"Estes são dias muito intensos e estamos todos trabalhando no apoio de estruturas administrativas para implementar as reformas mais apropriadas para impulsionar o crescimento do país e o desenvolvimento sustentável", acrescentou Conte. Reações No Twitter, o ex-primeiro-ministro Paolo Gentiloni escreveu que "aqueles que trabalham nas instituições têm a obrigação de servi-los com disciplina e honra. O senhor Casalino já não é compatível com o seu trabalho".   

Já o secretário do Partido Democrata, Maurizio Martina, ressaltou que hoje "estamos testemunhando atitudes incríveis como as do porta-voz do primeiro-ministro que ataca de uma maneira indigna os funcionários do Estado. Estas são coisas nunca vistas antes. Este é um governo que, em vez de procurar a solução para os problemas inventa um inimigo". (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.