Em vídeo, filho de Bolsonaro ameaça 'fechar' STF

SÃO PAULO, 22 OUT (ANSA) - Em um vídeo que circula nas redes sociais, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do candidato à Presidência Jair Bolsonaro, entrou em outra polêmica ao afirmar que, "se quiser fechar o Supremo Tribunal Federal (STF)", basta "mandar um soldado e um cabo".   


A afirmação de Eduardo foi feita em uma palestra em Cascavel para alunos de um curso preparatório para um concurso da Polícia Federal, antes do 1º turno das eleições, em 9 de julho.   


"Aí eles vão ter que pagar para ver. Será eles que vão ter essa força mesmo? O pessoal até brinca lá: se quiser fechar o STF ,sabe o que você faz? Você não manda nem um Jipe, manda um soldado e um cabo. Não é querendo desmerecer o soldado e o cabo", disse Eduardo após ser questionado sobre o STF realizar uma eventual impugnação da candidatura de Jair Bolsonaro.   


"O que é o STF, cara? Tira o poder da caneta de um ministro do STF, o que ele é na rua? Se você prender um ministro do STF, você acha que vai ter uma manifestação popular a favor dos ministros do STF?", acrescentou o deputado.   


Ontem (21), Eduardo se pronunciou em suas redes sociais sobre a polêmica, afirmando que apenas respondeu a uma "hipótese esdrúxula" sobre uma possível impugnação da candidatura de seu pai e pediu desculpas.   


"Acredito que o vídeo não é motivo para alarde, até porque eu mesmo o publiquei em minhas redes sociais há quase quatro meses.   


Trata-se de mais uma forçação de barra para atingir Jair Bolsonaro, assim como é essa balela de Whatsapp fake news ser o fator que está conduzindo Jair Bolsonaro possivelmente para a Presidência", escreveu.   


"Eu respondi a uma hipótese esdrúxula, onde Jair Bolsonaro teria sua candidatura impugnada pelo STF sem qualquer fundamento. Se fui infeliz e atingi alguém tranquilamente peço desculpas e digo que não era a minha intenção", acrescentou Eduardo.   


Repercussão - O presidenciável Jair Bolsonaro comentou ontem (21) sobre a polêmica de seu filho. O candidato do PSL informou que desconhece o vídeo e que as declarações foram "tiradas de contexto". Ele ainda comentou que quem sugere em "fechar" o STF "precisa consultar um psiquiatra".   


Por sua vez, candidato à Presidência pelo PT, Fernando Haddad, disse em uma entrevista em São Luís, no Maranhão, que a família de Bolsonaro é um "grupo de milicianos" e "gente de quinta categoria".   


Já o candidato a vice na chapa de Bolsonaro, general Hamilton Mourão, afirmou hoje que a declaração de Eduardo foi "ruim", e a classificou de "arroubo juvenil".   


Em carta ao jornal "Folha de S. Paulo", o ministro Celso de Mello, decano do STF, afirmou que a declaração de Eduardo foi "inconsequente e golpista".(ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos