PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Alemanha defende que França ceda à UE seu posto no CS da ONU

28/11/2018 17h55

BERLIM, 28 NOV (ANSA) - O ministro das Finanças e vice-chanceler da Alemanha, Olaf Scholz, afirmou nesta quarta-feira (28) que o assento permanente da França no Conselho de Segurança da ONU deve se tornar europeu, mas a sugestão foi rapidamente rejeitada por Paris. "Se levamos a União Europeia a sério, a UE também deve falar a uma só voz também no Conselho de Segurança das Nações Unidas", disse o alemão, ressaltando que "a médio prazo, o lugar da França deve se transformar no lugar da UE".   

A declaração foi dada durante discurso sobre a Europa na Universidade de Humboldt, em Berlim. Na ocasião, em contrapartida, Scholz também propôs que o posto de chefe da representação da UE junto da ONU seja ocupado por um francês. No entanto, segundo o alemão, será difícil colocar a ideia em prática. "Estou bem consciente de que há um trabalho de persuasão a fazer em Paris", disse.   

Para Scholz, a "França e a Alemanha já agem em conjunto nessa instância", mas um lugar europeu permitiria ir "ainda mais longe".   

Por sua vez, o governo francês logo rebateu a proposta. "É legalmente impossível porque é contrário à Carta das Nações Unidas", escreveu o embaixador francês nos Estados Unidos, Gérard Araud, em sua conta no Twitter, acrescentando que "modificá-lo seria politicamente impossível".   

Há vários anos, Berlim propõe um debate em torno de uma reforma do Conselho de Segurança. A nova sugestão está relacionada à defesa de uma Europa "mais forte e mais política" para que seja "levada a sério" pelos seus cidadãos e pela comunidade internacional. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Internacional