PUBLICIDADE
Topo

Internacional

'Não há provas que ligue príncipe e Khashoggi', diz Pompeo

28/11/2018 20h03

WASHINGTON, 28 NOV (ANSA) - O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, disse nesta quarta-feira (28) que não há provas que liguem o príncipe saudita, Mohamed bin Salman, com a morte do jornalista dissidente Jamal Khashoggi, assassinado no consulado saudita em Istambul.   

Pompeo afirmou que, após ler "todos os relatórios de inteligência" disponibilizados nas últimas horas, "não há nenhum elemento direto que ligue o príncipe herdeiro com a ordem dada para assassinar Jamal Khashoggi". A declaração foi dada durante coletiva de imprensa após o secretário de Estado participar de uma audiência no Senado. Aos jornalistas, Pompeo ainda citou a "imensa ameaça" do Irã como motivo para manter vínculos com a Arábia Saudita, após o brutal assassinato. "A deterioração das relações entre os EUA e a Arábia Saudita seria um grave erro para a segurança nacional dos Estados Unidos e seus aliados", acrescentou.   

- Investigação O príncipe herdeiro chegou hoje a Buenos Aires para participar da reunião do G20. Sua visita ao território argentino acontece após a Human Rights Watch (HRW) pedir que a justiça do país latino investigue Salman por crimes de guerra no Iêmen. A medida ainda será analisada.   

Segundo o jornal "El Clarín", o procurador federal Ramiro Gonzalez pedirá ao juiz federal Ariel Lijo para solicitar dados ao Iêmen, Arábia Saudita e à Turquia sobre o assassinato do jornalista e outros episódios. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Internacional