PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Em discurso de fim de ano,Mattarella pede mais segurança

31/12/2018 19h26

ROMA, 31 DEZ (ANSA) - Em seu terceiro discurso de fim de ano desde a sua eleição, o presidente da Itália, Sergio Mattarella, optou nesta segunda-feira (31) por lembrar os conceitos de responsabilidade, segurança, união e senso de instituições. De acordo o chefe de Estado, estes princípios devem orientar não só a atuação dos políticos, mas também daqueles que representam os cidadãos italianos nas instituições, em todos os níveis.   

Mattarella iniciou seu discurso, que foi transmitido ao vivo, dizendo que a população está "no tempo das redes sociais, em que muitos vivem online e comunicam continuamente o que pensam e também o que fazem no dia a dia".   

Para ele, "a República é o nosso destino comum e sentimento comunitário significa compartilhar valores, perspectivas, direitos e deveres, significa responsabilidade porque cada um de nós é o protagonista de nosso país, e pode lutar por suas próprias ideias, rejeitando insultos e intolerância".   

O presidente italiano ainda ressaltou que é necessário entender que a segurança começa a partir de um ambiente em que todos respeitam as regras da vida comum. E isso é efetivamente realizado pela preservação e manutenção de valores comuns e superação de conflitos, a fim de apoiar uns aos outros".   

"O que eu ouvi dos italianos expressa, acima de tudo, a necessidade de sentir e reconhecer a si mesmo como uma comunidade de vida", disse, lembrando que "a verdadeira segurança é alcançada com eficácia, preservando e garantindo os valores positivos da coexistência.   

"Segurança é também trabalho, educação, distribuição mais equitativa de oportunidades para os jovens, atenção aos idosos, serenidade para os aposentados após uma vida de trabalho, o que é alcançado mais facilmente superando conflitos e apoiando uns aos outros", acrescentou. Mattarella ressaltou que a demanda por segurança é particularmente forte em algumas áreas do país, onde o bullying das máfias é sentido com mais intensidade."Em muitos subúrbios urbanos, onde a degradação favorece a propagação do crime, a lei não é observada, e às vezes temos a impressão de instituições inadequadas".   

Durante o discurso, a solidariedade de voluntários que intervieram durante as calamidades que atingiram a Itália, como o colapso da ponte de Gênova e o terremoto na área do vulcão Etna, também foram lembradas, assim como a necessidade do país realizar um trabalho comprometido e verdadeiro.   

"A Itália tem muitos problemas que precisam ser resolvidos, do trabalho à dívida pública, da capacidade de produção aos problemas de infraestrutura. Devemos ter confiança, mas sem receitas milagrosas, mas com um trabalho minucioso, que requer esforço e comprometimento", explicou.   

Orçamento Ao falar sobre a Lei Orçamentária, promulgada nesta segunda, Mattarella disse esperar sinceramente que o Parlamento, o governo e os grupos políticos encontrem uma forma de debater de forma construtiva o que se passou e assegure condições adequadas para uma discussão tão importante.   

"O cumprimento dos padrões livremente assinados é um elemento que fortalece a confiança e dá estabilidade", disse.   

Solidariedade Depois de recordar da morte do jornalista italiano Antonio Megalizzi, no atentado terrorista em Estrasburgo, Mattarella expressou solidariedade a todas as vítimas e deslocados do terremoto na Sicília. Violência nos Estádios O presidente italiano também dedicou um espaço para falar sobre a violência atual nos estádios do país, principalmente depois de vários episódios envolvendo torcidas organizadas, que resultaram em atos de racismo e morte.   

"O estilo de vida italiano não pode ser, e não será mais, o mesmo que de ultras violentos de estádios de futebol, extremistas disfarçados de fãs. Fenômeno que os públicos podem e os clubes de futebol têm o dever de lutar e erradicar essas atitudes. O esporte é outra coisa". (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Internacional