PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Papa recusa saída de cardeal condenado por encobrir abusos

19/03/2019 13h17

ROMA, 29 MAR (ANSA) - O papa Francisco rejeitou o pedido de demissão do arcebispo e cardeal francês Philippe Barbarin, condenado a seis meses de prisão por ocultar casos pedofilia cometidos nas décadas de 1970 e 1980.   

No entanto, segundo o diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, Alessandro Gisotti, o líder da Igreja Católica deixou Barbarin "livre" para tomar a melhor decisão para sua arquidiocese. Dessa forma, o cardeal e arcebispo de Lyon resolveu se afastar por tempo indeterminado.   

Ele será substituído na arquidiocese francesa pelo vigário-geral Yves Baumgarten. "A Santa Sé reitera sua proximidade às vítimas de abusos, aos fiéis da Arquidiocese de Lyon e a toda a Igreja da França, que vivem um momento particularmente doloroso", acrescentou Gisotti.   

Barbarin foi recebido pelo Papa na última segunda-feira (18), 11 dias depois de ter sido condenado a seis meses de prisão por acobertamento de pedofilia. O caso se refere a abusos cometidos pelo padre Bernard Preynat nos anos 1970 e 1980. Barbarin teria se omitido entre 2014 e 2015, quando uma das vítimas o procurou para relatar os crimes.   

O cardeal de 68 anos é um dos principais nomes da Igreja Católica na França e já anunciou que pretende recorrer da sentença. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Internacional