Topo

'Comunismo, fascismo e nazismo não voltam', diz Salvini

2019-04-25T15:23:00

25/04/2019 15h23

CORLEONE, 25 ABR (ANSA) - O ministro do Interior e vice-premier da Itália, Matteo Salvini, afirmou nesta quinta-feira (25) que quer "libertar" o país dos "extremismos de direita, de esquerda e islâmicos".   

A declaração foi dada durante o Aniversário da Libertação da Itália do regime nazifascista, quando o líder ultranacionalista preferiu inaugurar uma delegacia em Corleone, berço da máfia Cosa Nostra, ao invés de participar de atos contra o autoritarismo.   

"Quero libertar a Itália de todos os extremismos de direita, de esquerda, islâmicos, de todos. Os extremismos nunca estão certos. Quero tranquilizar: comunismo, fascismo e nazismo não voltam", disse Salvini.   

O ministro foi criticado pelo outro partido da base aliada, o antissistema Movimento 5 Estrelas (M5S), por não participar de eventos pelo Aniversário da Libertação. Salvini quis passar a mensagem de que a verdadeira luta por libertação é contra a máfia.   

"Cada um decide o que faz com seus dias. Digo apenas que a luta contra a máfia é todos os dias, e que o 25 de abril se festeja somente em 25 de abril", disse o presidente da Câmara dos Deputados, Roberto Fico, expoente do M5S. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Mais Internacional