Topo

OCDE reduz previsão de crescimento para a economia do Brasil

21/05/2019 11h27

SÃO PAULO, 21 MAI (ANSA) - A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), com sede em Paris, reduziu nesta terça-feira (21) sua previsão de crescimento para a economia brasileira, alertando para as incertezas sobre a Reforma da Previdência. A entidade baixou de 1,9% para 1,4% a expectativa de crescimento para o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil, alegando que o clima de incerteza política sobre a votação da Reforma da Previdência causa pessimismo. De acordo com a OCDE, se essas dúvidas forem superadas, haverá uma reativação da demanda interna, o que pode gerar uma queda do desemprego.   

A organização também alertou para a diminuição da confiança dos empresários nas reformas empreendidas, junto com uma redução da produção industrial, que é compensada, em parte, pelo bom desempenho dos setores de serviços e primários.   

A entidade disse ainda que melhorar as finanças públicas é "crucial" para restaurar a confiança, uma vez que a dívida pública brasileira atinge 77% do PIB.   

Para 2020, a previsão da OCDE é de expansão de 2,3% da economia brasileira, levemente abaixo das expectativas dos últimos meses de 2,4%.   

Na análise da economia mundial, a OCDE também reduziu de 3,3% para 3,2% a previsão de crescimento. Um dos motivos é a guerra comercial, principalmente entre Estados Unidos e China, e o clima de tensão.   

Para a Itália, a previsão é de que o PIB fique estagnado em 2019 e volte a crescer de maneira "modesta" em 2020, com 0,6%. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Mais Internacional