PUBLICIDADE
Topo

Salvini é criticado por homenagear Andrea Camilleri

17/07/2019 14h36

ROMA, 17 JUL (ANSA) - O ministro do Interior e vice-premier da Itália, Matteo Salvini, virou alvo de críticas após postar no Twitter uma homenagem ao escritor Andrea Camilleri, morto nesta quarta-feira (17), aos 93 anos de idade.   


A reação se deu porque o "pai" do delegado Salvo Montalbano, seu personagem mais célebre, era um notório crítico de Salvini, a quem chegara a comparar ao ditador fascista Benito Mussolini.   


"Não quero fazer paralelos, mas percebo em torno das posições extremistas de Salvini o mesmo apoio que em 1937 eu via ao redor de Mussolini", disse Camilleri certa vez. Em outra ocasião, afirmou que o ministro do Interior seria um "maravilhoso secretário de Mussolini".   


Nas duas vezes, Salvini ironizou as críticas. "Gosto bastante de seus livros, mas não tanto de seus insultos", disse, em resposta à primeira declaração. No segundo caso, o ministro rebateu: "Fascista, racista, nazista. Quando não se tem argumentos, aos esquerdistas não resta nada além desse discurso batido".   


Nesta quarta, no entanto, Salvini foi uma das primeiras autoridades a se pronunciar publicamente sobre a morte de Camilleri. "Adeus a Andrea Camilleri, pai de Montalbano e narrador incansável da sua Sicília", escreveu o líder ultranacionalista no Twitter. Mais tarde, em uma entrevista, acrescentou que, apesar das divergências políticas, era seu dever prestar homenagem a um "grande artista".   


"Eu adoro Montalbano, aqueles panoramas, aqueles personagens.   


Sei que, politicamente, ele [Camilleri] me colou todos os rótulos, mas a Itália perdeu alguém importante", afirmou. Apesar disso, sua homenagem causou indignação nas redes sociais.   


"Se havia uma vez na vida em que você devia não ter escrito nada e ficado quieto, era essa", escreveu um usuário no Twitter.   


"Agora você o celebra? Depois de passar meses atiçando as piores bestas das redes sociais...", acrescentou outro internauta.   


"Acredito que sua recordação pode ser enquadrada como vilipêndio de cadáver", diz outro tuite. Salvini ainda foi chamado de "hipócrita" e "abutre" por usuários do Twitter. Houve também quem defendesse o ministro, afirmando que ele teria sido criticado da mesma maneira se não tivesse falado nada. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.