Topo

Conte e Merkel se unem para enfrentar desafios da UE

11/11/2019 18h39

ROMA, 11 NOV (ANSA) - O primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, recebe nesta segunda-feira (11) a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, em Roma, para reforçar o compromisso conjunto para enfrentar os principais desafios europeus, como migração, combate às mudanças climáticas, taxa de desemprego, além de crescimento econômico e do Brexit. Em uma entrevista coletiva na Villa Doria Pamphilj, na capital italiana, antes da reunião, Conte explicou que a reunião com a líder alemã é uma boa oportunidade para ambos debaterem "as inúmeras prioridades internacionais, europeias e bilaterais" que unem os dois países na tentativa de contribuírem para "o renascimento da Europa". "A Itália e a Alemanha devem trabalhar juntas para enfrentar a responsabilidade europeia comum de dar respostas adequadas aos cidadãos. Com a Alemanha, muitas vezes nos encontramos compartilhando objetivos e maneiras de alcançá-los, às vezes não estamos convencidos das mesmas soluções, mas devemos continuar a trabalhar nesta direção, não devemos aumentar a intolerância e as forças de desintegração na UE", disse o premier da Itália. Entre os principais temas que serão abordados estão a situação na Líbia, principalmente porque o governo alemão planeja organizar uma conferência internacional no próximo mês para a pacificação na região, além da crise migratória. "Estamos trabalhando ativamente para garantir o sucesso da conferência de Berlim, que visa promover um rápido cessar-fogo e a retomada do processo político, porque a opção militar não pode garantir nenhuma solução sustentável", explicou Conte.   

Segundo o político italiano, a estabilização na Líbia é um objetivo comum e prioritário. A resolução da crise líbia é uma das prioridades da política externa italiana, já que o país africano, fragmentado por oito anos de disputas entre milícias, se tornou um dos principais pontos de partida para viagens de migrantes no Mediterrâneo.   

"Quero agradecer ao governo alemão porque no campo da migração ele nunca deixou de dar seu apoio. Um país na linha de frente, com um papel proativo também no acordo de Malta", agradeceu Conte. A chanceler da Alemanha, por sua vez, aproveitou para ressaltar a importância da nova presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, de já ter estabelecido que estará fortemente comprometida com a imigração e com o compartilhamento igualitário de responsabilidades entre os Estados. "Acho certo que os representantes da Itália e da França em Malta tenham dado o primeiro passo para convidar outros países. É uma mensagem positiva, mas ainda há muito a ser feito para alcançar uma equação justa de tarefas na Europa", disse.   

Merkel ainda explicou que "a cooperação com a Guarda Costeira da Líbia é de grande importância, mas precisamos conversar com o Alto Comissário para Refugiados e líderes de ONGs para garantir que os direitos humanos sejam mantidos. "Queremos combater as causas dos movimentos migratórios. É importante abrir perspectivas para jovens africanos", acrescentou a alemã.   

Durante a coletiva de imprensa, os dois líderes ainda prometeram auxílio no setor siderúrgico para tentar "confrontar com as soluções mais avançadas do ponto de vista tecnológico e compartilhar conhecimento", e uma união bancária para "garantir estabilidade do euro". A expectativa é de que Conte e Merkel também abordem no encontro às portas fechadas a situação da companhia aérea Alitalia, principalmente depois que a alemã Lufthansa enviou uma carta à estatal italiana Ferrovie dello Stato (FS) afirmando que está disposta a fazer um "importante investimento" na maior empresa de aviação civil da Itália. Esta é a primeira vez que Merkel viaja para Roma após a formação do segundo governo de Conte, depois que o líder da extrema-direita Matteo Salvini, da Liga Norte, rompeu a coalizão com o Movimento 5 Estrelas (M5S) em agosto. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Notícias