Topo

Entrevista de príncipe Andrew ofusca eleição britânica

19/11/2019 11h26

ROMA, 19 NOV (ANSA) - O escândalo sexual envolvendo o empresário Jeffrey Epstein e o príncipe Andrew ganhou um novo capítulo nesta segunda-feira (18). Em entrevista à emissora "BBC", o filho da rainha Elizabeth II deu mais detalhes sobre caso e suas palavras ofuscaram a campanha eleitoral britânica.   

Epstein foi denunciado em Nova York por ter cometido abusos contra meninas de 14 anos e de organizar uma rede de exploração sexual de menores. No entanto, o financista foi encontrado morto enforcado com um lençol em uma prisão federal dos EUA, onde aguardava julgamento por acusações de tráfico sexual.   

O nome de Andrew entrou no caso após a divulgação de imagens que pareciam mostrar o britânico frequentando a residência do milionário. Além disso, uma mulher chamada Virginia Giuffre acusou o príncipe de ter a estuprado três vezes entre 1999 e 2002. Na entrevista, Andrew negou os boatos e disse que não lembra de ter conhecido Giuffre. Segundo ela, os dois tiveram relações sexuais sem consentimento dentro de uma mansão em Londres.   

"Eu não me lembro de ter conhecido essa dama, isso nunca aconteceu. Não, isso não poderia ter acontecido porque na data em questão eu estava em casa com as crianças [suas filhas]", disse Andrew, após ser perguntado sobre os relatos de Giuffre.   

A mulher ainda contou que o príncipe estava "suando muito" no dia que suspostamente foi abusada por Andrew. O filho da rainha Elizabeth II, por sua vez, afirmou que uma questão médica o impossibilitava de transpirar.   

"Eu não suava na época porque havia sofrido o que descreveria como uma overdose de adrenalina na Guerra das Malvinas. Era quase impossível eu suar", contou Andrew.   

Uma foto do britânico com o braço na cintura de Giuffre, que tinha 17 anos na época, circulou na imprensa do país e nas redes sociais. A fotografia teria sido tirada em 2001, em Londres, na casa da socialite Ghislaine Maxwell, ex-namorada de Epstein e que é acusada de "procurar garotas menores de idade" para o financista.   

"Essas são minhas roupas de viagem, [que uso] se eu estiver indo para o exterior. Ninguém pode provar se a fotografia foi ou não manipulada, mas não me lembro de ter sido tirada", declarou o príncipe.   

Andrew também afirmou que se arrepende de ter mantido contato com Epstein, mas revelou que eles "não eram tão próximos".   

A entrevista de Andrew atrapalhou o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, e seu principal rival, Jeremy Corbyn, líder do Partido Trabalhista. Os dois políticos queriam apresentar seus projetos antes da eleição do dia 12 de dezembro, mas os discursos políticos foram minimizados pelo escândalo sexual.   

"Não serei arrastado para comentários sobre assuntos a respeito da família real", disse Johnson, que prometeu acabar com a polêmica e tirar o Reino Unido da União Europeia (UE) até o dia 31 de janeiro.(ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Notícias