PUBLICIDADE
Topo

Ferrari confirma que não fez oferta de renovação para Vettel

03/07/2020 13h54

ROMA, 03 JUL (ANSA) - O chefe de equipe da Ferrari, Mattia Binotto, confirmou nesta sexta-feira (3) que não fez nenhuma proposta de renovação para o piloto Sebastian Vettel. O dirigente italiano ainda comentou que as incertezas causadas pela pandemia do novo coronavírus contribuíram para a saída do alemão.   


"O que Vettel disse foi de forma honesta e transparente. Ele foi a nossa primeira escolha e a vontade era de continuar com ele, mas é verdade que nunca houve uma oferta. Sempre dissemos durante o inverno, em privado e publicamente, que ele seria a nossa primeira escolha. Porém, a pandemia mudou o nosso mundo, não apenas a F1", disse Binotto em entrevista à emissora "Sky Sport".   


O tetracampeão de F1 revelou nesta quinta-feira (2) que a Ferrari não fez nenhuma proposta para ele. Além disso, Vettel comentou que ficou surpreso quando recebeu a notícia de que não faria mais parte da escuderia italiana. Binotto, por sua vez, explicou que a Covid-19 mudou os planos da equipe.   


"O limite do orçamento foi bastante alterado e é muito mais rigoroso; os regulamentos foram adiados de 2021 para 2022, o que de alguma forma foi algo importante para nós. Os carros ficaram congelados, ou quase congelados, para 2020 e 2021. Então, digamos que toda a situação mudou. Embora Vettel tenha aceitado nossa decisão, eu diria que ainda hoje não está totalmente satisfeito com isso, o que novamente diria que é algo normal e óbvio", explicou Binotto.   


Desde que a emergência da Covid-19 atingiu o planeta, a F1 anunciou que o teto de custos da próxima temporada seria reduzido de US$ 175 milhões para US$ 145 milhões. Além disso, a categoria afirmou que a sua nova era foi adiada para 2022.   


Para o lugar de Vettel, a Ferrari anunciou a chegada do espanhol Carlos Sainz Jr., da McLaren. O tetracampeão disputará em 2020 a sua última temporada na equipe italiana, que na qual venceu 14 corridas e foi vice-campeão das edições de 2017 e 2018.(ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.