PUBLICIDADE
Topo

Suíça abre inquérito criminal contra presidente da Fifa

30/07/2020 13h42

ROMA, 30 JUL (ANSA) - As autoridades da Suíça abriram uma investigação contra o presidente da Fifa, Gianni Infantino. O processo apura possíveis "condutas criminais" em reuniões entre o cartola e o ex-procurador-geral suíço Michael Lauber.   


De acordo com a investigação, Lauber e Infantino se encontraram em segredo três vezes entre os anos de 2016 e 2017. A participação do promotor público Rinaldo Arnold também está sendo apurada.   


Lauber e Infantino negam qualquer irregularidade nos encontros.   


Anteriormente, o presidente da Fifa já havia afirmado que as acusações eram "absurdas".   


"Eu apoio totalmente o processo judicial e a FIFA continua disposta a cooperar totalmente com as autoridades suíças para esse fim. A reunião com o procurador-geral da Suíça foi perfeitamente legítima e legal", disse Infantino.   


Em uma declaração do conselho federal suíço, Stefan Keller, o promotor especial designado para o caso, concluiu que existem "indicações de conduta criminosa" nas reuniões entre Infantino e Lauber.   


A nota ainda informa que entre os possíveis crimes cometidos estão "abuso de autoridade" e "violação de sigilo oficial".   


O anúncio da abertura do processo ocorre após a renúncia de Laube, acusado de administrar o Fifagate. As reuniões com Infantino levantaram questões sobre uma possível conivência.   


(ANSA).   


Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.