PUBLICIDADE
Topo

Presidente pede para Messi encerrar carreira na Argentina

ROMA, 31 AGO (ANSA) - O presidente da Argentina, Alberto Fernández, afirmou neste domingo (30) que o craque Lionel Messi, do Barcelona, deveria encerrar a carreira no Newell's Old Boys, time no qual deu seus primeiros passos no futebol.


O político comentou que Messi nunca atuou profissionalmente por um clube argentino e pediu para que o craque traga essa "alegria" ao país sul-americano.


"Messi está no coração de todos nós e nunca pudemos vê-lo jogar em nossa terra. Nos dê a alegria de encerrar sua carreira no Newell's Old Boys", disse Fernández em entrevista à emissora "C5N TV".


Em tom de brincadeira, o chefe de Estado afirmou que consultou o presidente do Banco Central, Miguel Ángel Pesce, para saber a situação das reservas monetárias da Argentina para Fernández tentar financiar o contrato de Messi com o Argentinos Juniors, time de coração do político.


Fernández também fez uma breve comparação entre Diego Maradona e Messi. O presidente admitiu que tem mais "admiração" pelo ex-craque do Napoli e da seleção.


"Maradona e Messi fizeram parte de duas épocas distintas do futebol. Tenho um pouco mais de admiração por Maradona, porque ele nasceu no Argentinos Juniors, e também porque o vi jogar como um gladiador, com uma força incrível, sozinho contra todos", destacou Fernández.


Antes de ir para a Espanha, Messi deu os seus primeiros passos no futebol no Newell's Old Boys, uma tradicional equipe da cidade de Rosário, na Argentina. Ele chegou ao clube em 1995, aos sete anos de idade, e ficou por lá até 2000.


Após o vexame da derrota por 8 a 2 diante do Bayern de Munique na Liga dos Campeões, Messi já comunicou ao Barça que quer deixar o clube espanhol. O craque tem contrato até junho de 2021, e o clube diz estar protegido por multa rescisória de 700 milhões de euros. Entretanto, o argentino tenta fazer valer uma cláusula que permitiria sua saída de graça ao fim desta temporada.


O favorito para contratar o astro é o Manchester City, treinador por Pep Guardiola. Segundo o diário catalão "Sport", a equipe inglesa pretende oferecer um salário de 50 milhões de euros líquidos por temporada durante os próximos cinco anos, mais um bônus de 250 milhões de euros. (ANSA).

Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.