PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Policiais que agrediram produtor negro em Paris são detidos

27.nov.2020 - Jornais estampam o rosto do produtor musical Michel Zecler, violentamente agredido no sábado passado por policiais em Paris. As cenas foram captadas pelo circuito interno de câmeras de vídeo de um estúdio de música - RFI
27.nov.2020 - Jornais estampam o rosto do produtor musical Michel Zecler, violentamente agredido no sábado passado por policiais em Paris. As cenas foram captadas pelo circuito interno de câmeras de vídeo de um estúdio de música Imagem: RFI

27/11/2020 10h25

Os quatro policiais que agrediram um produtor musical negro em Paris, na França, foram detidos para interrogatório.

O crime ocorreu no último sábado (21), quando Michel Zecler, foi espancado pelos agentes dentro de seu próprio estúdio. Imagens de uma câmera de segurança mostram três policiais agredindo o produtor, mas um quarto agente envolvido na abordagem também foi detido.

Os policiais alegaram que Zecler estava na rua sem máscara e que foram "arrastados" pelo produtor para o estúdio. Em depoimento à corregedoria da polícia, Zecler disse ter sido chamado de "crioulo sujo" por seus agressores.

Segundo a agência AFP, que cita um assessor do Palácio do Eliseu, o presidente Emmanuel Macron ficou "muito chocado" com as imagens da agressão e conversou com o ministro do Interior, Gérald Darmanin, para pedir punições dos envolvidos.

Seu governo, no entanto, conseguiu aprovar na Assembleia Nacional uma controversa lei que proíbe a filmagem de policiais em abordagens, levantando críticas da oposição e de associações da sociedade civil.

O deputado e ex-candidato à Presidência Jean-Luc Mélenchon escreveu no Twitter que o caso Zecler é uma "prova terrível do caráter vital do direito de filmar ações policiais". "Essas imagens não mostram uma polícia republicana, mas sim uma milícia bárbara fora de controle", disse.

Internacional