PUBLICIDADE
Topo

Menor região da Itália quer testar 70% de sua população

01/12/2020 12h42

AOSTA, 1 DEZ (ANSA) - A região do Vale de Aosta, no extremo-norte da Itália, fará em breve uma triagem para submeter 70% de sua população a exames moleculares (RT-PCR) para o novo coronavírus.   

A região é a menor e menos populosa do país e também apresenta os piores índices de incidência (5.180 casos/100 mil habitantes) e mortalidade por Covid-19 (251 óbitos/100 mil hab.) em todo o território italiano.   

A campanha será realizada de sexta-feira a domingo, mas as datas exatas ainda não foram definidas. O objetivo é aplicar testes rápidos para o coronavírus Sars-CoV-2 em pelo menos 70% da população local, o que significaria 84 mil exames em três dias.   

O governo do Vale de Aosta convocará todos os habitantes da região, com exceção de crianças de menos de cinco anos de idade e de pessoas em isolamento ou quarentena, porém a participação será voluntária.   

A iniciativa se inspira em uma triagem de massa realizada na província autônoma de Bolzano, também no extremo-norte da Itália, entre 20 e 22 de novembro. O rastreamento detectou 3.185 casos de coronavírus em 322.313 pessoas examinadas, permitindo que a província iniciasse um cronograma de relaxamento das medidas restritivas contra a pandemia.   

O Vale de Aosta é atualmente uma das quatro regiões definidas como "zona vermelha" pelo governo italiano, com regras que incluem fechamento do comércio não essencial e proibição de sair de casa a não ser por motivos de trabalho ou urgentes. (ANSA).   

Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.