PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
2 meses

Áustria propõe deportar afegãos para países fora da UE

18/08/2021 12h07

VIENA, 18 AGO (ANSA) - A Áustria propôs nesta quarta-feira (18) a criação de "centros de deportação" nos países vizinhos ao Afeganistão para acolher cidadãos afegãos que tenham pedidos de refúgio rejeitados na União Europeia.   

A proposta é semelhante a um acordo firmado entre UE e Turquia em 2016 para conter a crise migratória na região dos Bálcãs, que é criticado por agências humanitárias.   

Além disso, a sugestão austríaca chega enquanto alguns países da União Europeia, como Alemanha, Bélgica, França e Suécia, se movimentam para interromper as deportações de afegãos devido ao retorno do Talibã ao poder.   

"É importante que continue sendo possível deportar solicitantes de refúgio ou refugiados violentos, então precisamos desses centros de deportação", disse o ministro do Interior da Áustria, Karl Nehammer, antes de um encontro com seus colegas europeus.   

Além disso, Viena defende que afegãos com pedidos de refúgio negados possam ser expulsos, de forma a dissuadir que outros fugitivos do Talibã viajem até a Europa. A Áustria é governada pelo chanceler conservador Sebastian Kurz, adepto de uma linha dura nas políticas migratórias.   

Precedente - Um acordo assinado com a Turquia em 2016, no auge da crise migratória no Mediterrâneo, prevê que todos os deslocados internacionais que cheguem na Grécia sem documentos sejam devolvidos ao território turco, com os custos das viagens pagos pela UE.   

Para cada pessoa que a Turquia recebe de volta, um refugiado regularizado é enviado para a União Europeia. O pacto é alvo de críticas de agências humanitárias, que acusam a UE de transferir responsabilidade para não ter de lidar com migrantes forçados e refugiados.   

Esse acordo conteve os fluxos migratórios na chamada "rota balcânica", que era usada sobretudo por sírios que fugiam da guerra civil em seu país. (ANSA).   

Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.