PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
1 mês

Macron cobra 'ressarcimentos' por pedofilia na Igreja

03.set.2021 - O presidente da França, Emmanuel Macron - Ludovic Marin/AFP
03.set.2021 - O presidente da França, Emmanuel Macron Imagem: Ludovic Marin/AFP

06/10/2021 13h00

O presidente da França, Emmanuel Macron, comentou nesta quarta-feira (6) o relatório que aponta mais de 300 mil vítimas de pedofilia na Igreja Católica no país e disse que a sociedade precisa de "verdade e ressarcimentos".

Em coletiva de imprensa após uma reunião de líderes da União Europeia em Brdo, na Eslovênia, o mandatário elogiou o "espírito de responsabilidade da Igreja" por ter decidido "olhar na cara" da crise, mas cobrou sequência a esse processo.

"Espero que o trabalho continue de maneira lúcida e pacífica.

Nossa sociedade precisa disso. Precisamos da verdade e de ressarcimentos", acrescentou Macron.

O relatório foi preparado por uma comissão independente nomeada pela Conferência Episcopal da França e presidida pelo magistrado Jean-Marc Sauvé. Ao fim de dois anos e meio de investigação, o documento concluiu que pelo menos 216 mil crianças e adolescentes foram vítimas de pedofilia por parte de padres e outros clérigos da Igreja francesa desde 1950.

No entanto, esse número chega a 330 mil quando também se leva em conta agressores leigos que trabalhavam para as instituições católicas, como sacristãos e professores. De acordo com o relatório, o número de padres pedófilos no país entre 1950 e 2020 é estimado entre 2,9 mil e 3,2 mil.

"Desejo expressar às vítimas minha tristeza e minha dor pelo trauma que elas sofreram e também minha vergonha, nossa vergonha, pela longa incapacidade da Igreja de colocar isso no centro de suas preocupações", disse o papa Francisco nesta quarta-feira.

Internacional