PUBLICIDADE
Topo

Conteúdo publicado há
1 mês

Itália tem menor nº de mortes diárias desde 8 de agosto

16/10/2021 12h51

ROMA, 16 OUT (ANSA) - A Itália registrou 14 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, elevando para 131.517 as vítimas da pandemia, informou o Ministério da Saúde neste sábado (16). O dado diário de falecimentos é o menor registrado no país desde 8 de agosto, quando foram 11 óbitos.   

Com os números do boletim, a média móvel de mortes dos últimos sete dias teve uma queda pela primeira vez desde o início da semana e está em 35. O valor é o menor desde 17 de agosto.   

Foram ainda contabilizados 2.983 casos, totalizando 4.715.464 os contágios. Nesse caso, a média móvel teve uma leve alta - passou de 2.458 na sexta-feira (15) para 2.492 neste sábado.   

O número de casos ativos, que desconsidera as mortes e as curas, mantém o ritmo de queda e está em 78.071, sendo que 75.348 estão em isolamento domiciliar, 2.371 precisando de acompanhamento médico e 352 estão internados em unidades de terapia intensiva - todos os dados estão diminuindo.   

A quantidade de testes realizados para detectar o coronavírus Sars-CoV-2 foi de 472.535, cerca de 30 mil a menos do que na sexta-feira. A taxa de positividade está em 0,6%.   

A vacinação na Itália continua acelerando, com 85,4% das pessoas com mais de 12 anos tendo iniciado o ciclo de imunização. Já os que estão totalmente protegidos somam 43,7 milhões de pessoas, ou seja, 81,06% do público-alvo. Há ainda pouco mais de 556 mil pessoas que tomaram a dose de reforço.   

Os bons números anunciados neste sábado vêm um dia depois do governo italiano exigir o certificado sanitário, chamado de passe verde, para todos os trabalhadores do país. Caso a pessoa se negue a tomar a vacina, ela precisa apresentar um teste negativo para a Covid-19 feito há 48h ou 72h dependendo do tipo de exame realizado.   

Apesar de protestos terem sido registrados na Itália, mais de dois terços da população é favorável ao uso de certificado.   

(ANSA).   

Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.