PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Conteúdo publicado há
9 meses

Itália antecipa reforço vacinal contra covid-19 para maiores de 40 anos para dezembro

Até o momento, quase 84% do público-alvo já concluiu o primeiro ciclo de vacinação com as duas doses ou a dose única - EFE
Até o momento, quase 84% do público-alvo já concluiu o primeiro ciclo de vacinação com as duas doses ou a dose única Imagem: EFE

Em Roma

10/11/2021 13h23

O governo da Itália antecipou para 1º de dezembro a aplicação da dose de reforço de vacinas contra a covid-19 em pessoas entre 40 e 60 anos de idade.

Inicialmente, o novo ciclo vacinal nesse público estava previsto para 2022, mas o ministro da Saúde, Roberto Speranza, anunciou hoje uma aceleração no cronograma para conter o atual crescimento nos casos diários.

"Anuncio que daremos novos passos adiante: a partir de 1º de dezembro, também serão chamados para o reforço aqueles entre 40 e 60 anos. A terceira dose é absolutamente estratégica para a campanha vacinal", disse Speranza em audiência na Câmara dos Deputados.

Até o momento, quase 84% do público-alvo (pessoas a partir de 12 anos) já concluiu o primeiro ciclo de vacinação com as duas doses de AstraZeneca, Moderna ou Pfizer ou a dose única da Janssen, enquanto cerca de 2,4 milhões de indivíduos já tomaram o reforço.

Ao mesmo tempo, no entanto, mais de 7,2 milhões de pessoas sequer receberam a primeira dose, o que permitiu um novo aumento nos casos diários de Covid-19 na Itália, onde a atual média móvel de contágios em sete dias (5.810) é a maior desde 5 de setembro.

O reforço vacinal no país é feito exclusivamente com as fórmulas de mRNA (Moderna e Pfizer) e também pode ser dado a imunossuprimidos, trabalhadores da saúde e pessoas imunizadas no exterior com a CoronaVac ou a Sputnik V, além de cidadãos com mais de 60 anos.

Internacional