PUBLICIDADE
Topo

Guerra da Rússia-Ucrânia

Notícias do conflito entre Rússia e Ucrânia


Conteúdo publicado há
3 meses

ONU confirma morte de quase 600 civis na guerra na Ucrânia

Alvos civis foram alvo de bombardeios russos na cidade de Dnipro, no centro da Ucrânia - AFP
Alvos civis foram alvo de bombardeios russos na cidade de Dnipro, no centro da Ucrânia Imagem: AFP

13/03/2022 15h58Atualizada em 13/03/2022 19h14

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos divulgou neste domingo (13) que pelo menos 596 civis foram mortos, incluindo 43 crianças, e mais de mil ficaram feridos na Ucrânia desde o início da guerra russa, há 18 dias.

Segundo a ONU, que aponta que o número real pode ser significativamente muito maior, especialmente nas áreas sob controle do governo sitiadas pelas forças russas, a guerra já deixou 1.067 civis feridos, incluindo 57 menores de idade.

"A maioria das baixas civis registradas foi causada pelo uso de armas explosivas com uma ampla área de impacto, incluindo artilharia pesada e sistemas de foguetes de lançamento múltiplo, mísseis e ataques aéreos", informou o comunicado.

A guerra na Ucrânia entrou no 18º dia e os bombardeios russos continuam deixando diversos mortos e feridos. De acordo com as autoridades ucranianas, somente em Mairupol mais de 2,1 mil morreram.

Feridos

Neste domingo (13), o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, divulgou um vídeo no qual mostra uma visita a soldados feridos em um hospital militar. Ele chegou no local a pé e conversou com alguns pacientes.

Em seguida, o líder ucraniano vestiu um avental e máscara e visitou a UTI.

"Os jovens se curam logo", disse ele a um dos soldados feridos, reforçando que "o maior presente para sua alta do hospital será nossa vitória", afirmou.