Kaká promete que estará recuperado até estreia na Copa

O jogador Kaká - tido pela comissão técnica, torcedores e demais jogadores como o principal atleta brasileiro na Copa do Mundo - garantiu nesta sexta-feira que estará bem fisicamente na estreia contra a Coreia do Norte. O camisa 10 do Brasil se recupera de dores na coxa esquerda e não joga uma partida inteira há um mês.

"Eu vou estar bem até o dia 15. Cada dia que passa eu tenho melhorado. Estou me soltando mais e a lesão já não é um incômodo", disse o jogador.

"Eu também estava preocupado, porque era uma dor que me limitava bastante." O meia brasileiro jogou apenas 45 minutos na quinta-feira contra o Zimbábue, no amistoso de preparação para o Mundial.

"É claro que não foi a melhor partida da minha carreira, mas foi um teste muito importante para a minha recuperação." Bola polêmica Kaká disse que não tem críticas à Jabulani, a bola nova da Copa do Mundo. Até agora, ele foi o único jogador brasileiro a não se manifestar contra a bola, que foi criticada por Júlio César, Luís Fabiano, Robinho, Felipe Melo e até pelo técnico Dunga.

A Jabulani recebeu adjetivos como "sobrenatural", "horrorosa" e "patricinha" dos jogadores do Brasil, mas Kaká foi enfático ao dizer que não tem nada contra a bola.

"Não vou criticar a bola da Copa. Desde que eu me conheço como jogador, em todas as competições têm críticas sobre bolas", disse.

"Só que a Copa tem uma proporção e uma intensidade maior. Então se cria toda essa polêmica em torno da bola, principalmente na primeira semana, mas agora todo mundo já está adaptado. Essa é a bola da Copa e é com ela que espero que nós sejamos campeões." O jogador disse que novas tecnologias sempre causam críticas inicialmente, mas que agora até os críticos já estão se adaptando. "Eu já vejo o Luís Fabiano beijando a bola nos treinamentos", disse.

Sobre a possibilidade de ser escolhido o melhor jogador do mundo, Kaká repetiu o que Júlio César e Luís Fabiano já haviam dito.

"Se um brasileiro for escolhido o melhor do mundo no fim do ano, significa que o Brasil terá sido campeão do mundo", disse Kaká. Ele disse que a seleção tem vários líderes e que hoje se sente pronto para ser um deles.

Em uma pergunta de um jornalista argentino, Kaká mostrou que defende a seleção também fora de campo. O repórter perguntou se para o Brasil apenas o resultado é importante e se jogar bem não interessa mais aos brasileiros.

"Importa como se joga também. Ganhamos da Argentina por 3 a 1, em Rosário, [nas Eliminatórias] e para nós, isso foi um espetáculo." Arbitragem Kaká revelou detalhes da reunião que os jogadores tiveram na quinta-feira à noite com o ex-árbitro argentino Horacio Elizondo, que apitou a final da Copa de 2006 e hoje atua como instrutor do Programa de Assistência à Arbitragem da Fifa.

Elizondo disse que os árbitros que apitarão as partidas do Brasil estão vendo jogos da seleção e que conhecerão o estilo dos jogadores antes dos jogos.

Ele também passou a orientação da Fifa sobre "paradinhas" na hora de cobranças de pênalti. Kaká disse que a orientação é que os jogadores, ao firmarem o pé de apoio, precisam bater na bola imediatamente. Ele revelou que todos os exemplos de "paradinhas" no vídeo exibido pelo representante da Fifa eram de jogadores brasileiros.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos