Em concentração total, brasileiros não verão abertura da Copa

A África do Sul - e grande parte do mundo - vai parar para ver a abertura da Copa do Mundo nesta sexta-feira. Mas a seleção brasileira não estará assistindo ao vivo ao primeiro jogo do Mundial, entre África do Sul e México, às 16h (11h no horário de Brasília).

Em concentração total, jogadores e comissão técnica estarão trabalhando durante a abertura, em preparação para a estreia brasileira, na próxima semana, contra a Coreia do Norte.

Pelo calendário divulgado pela CBF para os próximos dias, os jogadores terão que assistir à maioria dos jogos em DVD, pois no momento em que as partidas estarão sendo realizadas, o Brasil estará treinando.

Os jogadores não verão ao vivo as estreias da Argentina, Itália e Alemanha.

Olheiro A tarefa de assistir aos demais jogos da Copa caberá ao "informante" da seleção brasileira, o ex-goleiro Taffarel, tetracampeão em 1994.

Ele é responsável por assistir aos jogos dos demais adversários brasileiros na Copa. Na terça-feira, dia de folga da seleção, o ex-goleiro foi a um estádio em Johanesburgo para assistir ao amistoso entre Moçambique e Portugal, o terceiro adversário do Brasil na primeira fase.

Taffarel estará observando jogos não apenas dos rivais imediatos do Brasil, como também de outras seleções que podem cruzar com a seleção mais adiante, caso o Brasil passe da primeira fase.

O auxiliar do técnico Dunga, Jorginho, disse que Taffarel será o responsável por trazer ao Brasil detalhes sobre como jogam os demais times da Copa.

"Isso nunca ganhou jogo, mas ajuda muito", disse Jorginho.

Os jogadores também estão podendo ver os jogos dos adversários. Eles têm acesso a DVDs das partidas. O meia Elano disse que até chegar à África do Sul, ele não havia visto nenhum jogo da Coreia do Norte, o primeiro adversário do Brasil.

Mas o jogador revelou que recebeu DVDs de amistosos e outras partidas, e que a Coreia do Norte já não é "de maneira alguma" um mistério para os brasileiros.

Concentração total Das 32 equipes que disputarão a Copa, o Brasil foi a seleção que começou a se preparar mais cedo. Há um mês, no dia 11 de maio, quando a maioria dos times ainda estava anunciando a lista preliminar de 30 atletas, Dunga já havia definido os 23 jogadores que iriam à África do Sul.

Duas semanas depois, quando as seleções estavam preparando a sua lista final, o Brasil já estava na África do Sul treinando. A seleção brasileira foi a primeira a chegar ao país.

Os jogadores da seleção têm se mantido distante da torcida brasileira e também dos moradores locais. Nos dois dias de folga que tiveram nas últimas duas semanas, poucos jogadores saíram do hotel onde o Brasil está concentrado.

Até mesmo na sessão de treino aberto para o público em Soweto na semana passada, que é exigido pela Fifa, a seleção conseguiu evitar multidões e assédio. O Brasil só divulgou que realizaria o treino aberto no mesmo dia, e muitas pessoas não conseguiram se planejar para ver a sessão.

Dunga proibiu todos os jogadores de darem entrevistas exclusivas a jornalistas. O único ponto de contato entre a imprensa e a seleção são as entrevistas coletivas organizadas pela CBF e pela Fifa.

O meia Kaká se disse favorável ao esquema de "isolamento" da seleção, que é totalmente oposto à preparação para a Copa passada na Alemanha, quando alguns jogadores chegaram a dar entrevistas ao vivo às 2h da manhã.

"Eu prefiro assim. Eu acho que as probabilidades de sucesso são muito maiores", disse Kaká.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos