Daniel Alves é jogador 'que mais trabalha' na seleção

Com o começo da Copa do Mundo, a comissão técnica da seleção brasileira separou os 23 jogadores em dois grupos para os treinamentos. Na véspera da estreia, todos treinaram juntos e seguiram a mesma rotina de trabalho. Após o jogo contra a Coreia do Norte, no entanto, os 11 jogadores que começaram a partida foram poupados, enquanto os reservas seguiram com a rotina dura de treinamentos. Pelo esquema, o lateral-direito reserva, Daniel Alves, é o jogador da seleção brasileira que mais trabalhou com bola entre todos os 23 atletas. O jogador tem sido uma espécie de "12º titular", e foi aproveitado em todos os jogos do Brasil desde a chegada à África. Na terça-feira, Daniel Alves jogou por 19 minutos contra a Coreia do Norte. No dia seguinte, quando os titulares fizeram apenas trabalhos de recuperação muscular no hotel, o lateral-direito estava novamente em campo, participando do treino apenas com reservas. Na quinta-feira, novamente os titulares foram poupados, com treinamento de apenas 30 minutos e depois mais 30 minutos de corrida ao redor do campo. Daniel Alves participou não só desta sessão, como também voltou ao campo para o jogo-treino dos reservas contra uma equipe amadora sul-africana. Ele jogou por 50 minutos e foi um dos que mais correu no lado brasileiro. Esforço Nos treinos, Daniel Alves é um dos jogadores que mais chama atenção pelo seu ímpeto. Por duas vezes nas últimas três semanas, ele até exagerou no esforço. Em uma delas, machucou Kaká, mas recebeu o perdão do colega. Em outra, Júlio Baptista foi o alvo, e os dois saíram de campo discutindo. Daniel Alves foi aproveitado em todos os amistosos do Brasil disputados na África. Após a partida de estreia da Copa, contra a Coreia do Norte, Dunga deu dois motivos para colocar o jogador no lugar de Elano, aos 28 minutos do segundo tempo. Primeiro, Dunga disse que Daniel Alves pode dar mais movimentação ao ataque, com suas arrancadas. O segundo motivo é a bola parada. O jogador é um dos batedores de falta da seleção. Para Dunga, a jogada era uma boa alternativa para o Brasil buscar gols contra a retrancada equipe norte-coreana. À vontade Apesar da rotina mais dura do que os demais jogadores, Daniel Alves não reclama. Na semana passada, o jogador disse que sequer se sente um reserva na seleção brasileira, apesar de não começar jogando as partidas. "Não importa se sou titular ou não. O mais importante é estar sendo utilizado", disse o lateral. "Não me sinto reserva, eu me sinto como um jogador que pode ter oportunidades e, quando jogar, vou procurar aproveitá-las. A gente está aqui em prol da seleção. E juntando um pouco de cada um, no final, as coisas dão certo." O jogador também se mostrou à vontade em jogar na África do Sul. No dia do treino de reconhecimento do campo do estádio Ellis Park, Daniel Alves disse aos demais jogadores: "Foi aqui que comecei a ficar famoso". No ano anterior, Daniel Alves havia entrado na equipe brasileira durante a semifinal da Copa das Confederações e feito de falta o gol que classificou o Brasil para a final do torneio.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos