Chuvas em Alagoas e Pernambuco matam pelo menos 39

As enchentes em Pernambuco e Alagoas, que começaram na última quinta-feira, já deixaram pelo menos 39 mortos e quase 100 mil desabrigados e desalojados, de acordo com informações dos governos de ambos os Estados. O número de desaparecidos passa de 1,5 mil.

O governo federal já anunciou a liberação de R$ 300 milhões para começar a reconstrução das áreas atingidas pelas enchentes. Em reunião com os governadores de ambos os Estados na segunda-feira, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que não faltarão recursos para socorrer a população.

Nesta terça-feira, o Gabinete de Crise do governo deve voltar a se reunir para discutir o montante a ser liberado, além de outras formas de ajuda. O ministro de Relações Institucionais, Alexandre Padilha, disse que isso será avaliado por representantes da Casa Civil e do Gabinete de Segurança Institucional.

"Ainda não estão fechadas estimativas de recursos e isto será detalhado amanhã na reunião do Gabinete de Crise", disse Padilha, segundo a Agência Brasil.

"O presidente Lula orientou a mobilizar todos os recursos federais dos Ministérios da Defesa, do Exército e da Integração. O que demos segurança para os dois governadores e para a população dos estados é que não faltarão recursos do governo federal." Inicialmente, o governo quer garantir a provisão de comida, água e energia elétrica. A Secretaria Nacional de Defesa Civil já liberou 12 mil cestas de alimentos para Pernambuco e 8 mil para Alagoas.

O governador de Alagoas, Teotonio Vilela, disse que o governo federal vai adiantar o pagamento do Bolsa Família para as famílias atingidas, assim como mecanismos para facilitar linhas de crédito para pequenos e médios comerciantes atingidos com as chuvas.

Além disso, Vilela disse ter ganhado a promessa de liberação de parte do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) para os atingidos.

'Kits dormitório' De acordo com Padilha, Lula pediu às empresas de energia elétrica e de telefonia que montem esquemas emergenciais para que os serviços sejam restabelecidos nos municípios atingidos pelas enchentes.

Também foram enviados para cada Estado 6 mil dos chamados "kits dormitório", com colchões, cobertores, lençóis, travesseiros, fronhas e toalhas, para a população que se encontra desabrigada.

O governo também deve reforçar a presença do Exército na região, para ajudar na distribuição de doações e na segurança da população.

Em Pernambuco, segundo levantamentos preliminares nas coordenações estaduais de defesa civil, 53 municípios declararam situação de emergência. São 17.719 desabrigados, 24.301 desalojados e 13 mortos.

Em Alagoas, a Coordenadoria da Defesa Civil afirmou que o número total registrado pelo Corpo de Bombeiros é de 26 mortos e 57 mil desabrigados. Em 15 municípios, foi decretado estado de calamidade pública.

Além disso, 607 pessoas estão desaparecidas, sendo 500 só no município de União dos Palmares.

De acordo com o governo, os municípios que registram o maior número de desabrigados são: União dos Palmares (9 mil), Murici (5 mil), Rio Largo (2 mil) e Viçosa (1,2 mil). Outras cidades atingidas foram Jacuípe (250). Quebrangulo (800), Santana do Mundaú (500); Joaquim Gomes (350); São José da Lage (386); Branquinha (1 mil); Atalaia (100), Cajueiro (192); Capela (300) e Satuba (200).

A quantidade de chuva que caiu em Recife e em Olinda no último dia 17 foi equivalente a um terço da média mensal.

A meteorologia já alertou que a expectativa é de mais chuvas para esta terça-feira.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos