Erros colocam arbitragem sob pressão na fase final da Copa

Os erros de arbitragem flagrados pelas câmeras de TV em jogos decisivos da Copa do Mundo levaram o presidente da Fifa, Sepp Blatter, a pedir desculpas publicamente e concordar em reabrir o debate sobre o uso de tecnologia no futebol.

Em pronunciamento nesta terça-feira, Blatter admitiu que a aplicação de mecanismos para ajudar os árbitros em difíceis decisões voltará a ser discutida pela entidade em julho.

Os erros exibidos com tanta clareza pela TV confirmam que o trio de arbitragem não é infalível e dão mais força àqueles que defendem o uso da tecnologia na arbitragem.

É difícil dizer se a polêmica terá algum efeito psicológico sobre a atuação dos juízes, mas a série de erros põe os árbitros no centro da questão.

A arbitragem, cujo desempenho na primeira fase do torneio foi amplamente elogiada pelos críticos, fica agora sob pressão, justamente na fase final da Copa, onde cada jogo é decisivo.

Desculpas Sepp Blatter pediu desculpas aos mexicanos e ingleses que acabaram prejudicados por erros de arbitragem nas partidas das oitavas de final.

O México sofreu um gol irregular, na partida vencida pela Argentina por 3 a 1 em Johanesburgo. O primeiro gol do jogo foi marcado pelo argentino Carlos Tévez em posição de impedimento.

A imagem confirmando a irregularidade na jogada foi mostrada no telão do estádio Soccer City, o que levou os jogadores mexicanos a protestarem ao bandeirinha e ao árbitro, que não aceitou as queixas e validou o gol.

O presidente da Fifa também se desculpou com a federação de inglesa de futebol pelo erro cometido pelo juiz do jogo Alemanha 4 x 1 Inglaterra.

Com o placar ainda em 2 a 1, a bola chutada pelo meia Lampard acertou o travessão do goleiro Neuer e quicou dentro do gol alemão. O juiz e um bandeira não perceberam e deram prosseguimento normal à jogada, sob grandes protestos dos jogadores ingleses. Novamente, as imagens de TV mostraram nitidamente que a bola tinha cruzado a linha de gol.

Além das jogadas que prejudicaram México e Inglaterra, a TV também exibiu outras irregularidades.

Um vídeo mostrou que os Estados Unidos tiveram um gol anulado erradamente por impedimento, na partida em que empataram em 2 a 2 com a Eslovênia.

O Brasil foi favorecido pela não marcação de um toque de mão do atacante Luís Fabiano antes de marcar seu segundo gol na vitória brasileira de 3 a 1 sobre a Costa do Marfim.

Decisões tomadas por árbitros em situações não tão óbvias também acabaram gerando reclamações depois que as imagens feitas em câmera lenta foram reproduzidas pela TV.

Aí se inclui a expulsão de Kaká depois do encontrão com o marfinense Keita, a expulsão do zagueiro chileno Estrada depois de um tropeção acidental no atacante espanhol Fernando Torres, e a do atacante alemão Klose, em jogada semelhante, na partida vencida pela Sérvia por 1 a 0.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos