Receita diz ver indício de 'balcão de vendas' em quebras de sigilo

Após informações sobre a suposta quebra do sigilo fiscal de membros do PSDB e pessoas ligadas ao candidato tucano José Serra terem vazado para a imprensa, a Receita Federal afirmou nesta sexta-feira que há indícios da existência de um esquema de venda de dados sigilosos de contribuintes.

Em uma coletiva de imprensa nesta sexta-feira, o corregedor da Receita, Carlos Costa D'Ávila Carvalho, afirmou que as investigações apontam que os dados dos contribuintes teriam sido encomendados por "agentes intermediários externos mediante o pagamento de propina".

"Os indícios são de um suposto balcão de compra e venda de informações", disse.

Entre os contribuintes que teriam tido seus sigilos fiscais quebrados estariam Eduardo Jorge Caldas Pereira, vice-presidente do PSDB, e outras pessoas ligadas ao partido, além de empresários.

Segundo a Receita, o acesso aos dados teria ocorrido em uma agência em Mauá, na Grande São Paulo, e duas servidoras estariam sendo investigadas. Dados sobre as quebras de sigilo devem ser enviados ao Ministério Público na próxima segunda-feira.

Constrangimento Na mesma coletiva, o secretário da Receita Federal, Otacílio Cartaxo, afirmou que o vazamento dos dados causou "preocupação" e "constrangimento", mas disse não ver motivação eleitoral no caso.

"Não vislumbro nenhuma motivação eleitoral. Inclusive, na divulgação feita de nomes, constam empresários e pessoas notáveis da mídia que não têm vinculações políticas. Não sei como se fazer essa vinculação. No meu entendimento, não existe", disse.

A revelação do suposto esquema de quebra de sigilos gerou uma verdadeira guerra de ações e ameaças entre petistas e tucanos.

Na última quinta-feira, o PSDB entrou com uma representação na Procuradoria Geral da República pedindo uma investigação sobre a suposta participação de integrantes do PT e do governo no vazamento.

Em resposta, o PT prometeu processar Serra por "injúria e difamação" por declarações feitas pelo candidato a respeito do caso.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos