Suspeito é morto pela polícia de Paris no primeiro aniversário de atentado contra o 'Charlie Hebdo'

Um homem foi morto a tiros pela polícia francesa nesta quinta-feira após aparentemente ter tentado atacar uma delegacia no 18º distrito no norte de Paris, no dia em que a capital francesa marca o aniversário de um ano dos ataques à publicação satírica Charlie Hebdo.

De acordo com autoridades, o suspeito carregava uma faca. Relatos afirmam que ele portava uma imitação de um colete de bombas, após investigações em seu corpo terem apontado que não havia explosivos com o suspeito.

Segundo testemunhas, o homem gritava "Allahu Akbar!" (Deus é grande, em árabe) do lado de fora da delegacia em Goutte d'Or, perto de Montmartre, onde os policiais atiraram nele.

Leia também: #JeSuisCharlie, um ano depois: o símbolo que virou 'maldição' de revista

O incidente aconteceu poucos minutos após o presidente francês, François Hollande, ter feito um discurso em uma cerimônia em homenagem às vítimas e aos policiais que trabalharam durante os ataques ao Charlie Hebdo, no quartel-general da polícia francesa, no centro de Paris.

No discurso, Hollande prometeu criar 5 mil postos policiais extras na França até 2017 para aumentar a segurança do país e evitar novos ataques. Além disso, outros 2 mil empregos serão criados em serviços de inteligência.

Há um ano, atiradores invadiram o prédio da publicação Charlie Hebdo e também um supermercado judeu e mataram 17 pessoas ao todo - incluindo três policiais.

Leia também: Por que os países do Ocidente evitam criticar a Arábia Saudita?

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos