Sem patrocínio, gari do MMA ajuda 300 crianças e concorre a 'Oscar' em Los Angeles

O gari Jorginho Filho, que treina artes marciais há 24 anos e mantém um projeto social na favela de Acari, recebeu a notícia de que é um dos cinco finalistas na categoria 'nocaute do ano', uma das mais disputadas do World MMA Awards, principal prêmio do MMA no mundo.

Ele foi indicado pelo chute rodado que derrubou o oponente Cláudio Cezário, em uma luta em novembro.

"É o Oscar do MMA. Uma coisa superimportante", conta o atleta, que concorre ao prêmio de nocaute mais bonito de 2015, ao lado dos principais nomes da luta no planeta.

Ele não tem patrocínio, mas sonha conseguir o dinheiro para viajar aos Estados Unidos, onde ocorre a premiação. Conheça sua história.

Videorreportagem: Ricardo Senra e Erick Dau

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos