Califórnia rejeita exigência de camisinha em filmes pornográficos

Autoridades de segurança do trabalho do Estado americano Califórnia votaram contra uma proposta de obrigar atores de filmes pornográficos a usar camisinhas como forma de prevenir a transmissão de doenças sexualmente transmissíveis (DST).

Representantes de produtoras e atores argumentaram que o uso dos preservativos poderia levar a indústria pornográfica à falência porque tornaria os filmes menos excitantes para os espectadores. E que o uso compulsório da camisinha poderia abrir brecha para a exigência de mais equipamentos, como óculos de proteção e protetores bucais.

Atualmente, atores e atrizes pornô precisam fazer exames médicos a cada duas semanas para detectar possíveis DST.

A votação aconteceu depois de a ONG Aids Healthcare Foundation ter convencido a agência estadual do Escritório de Segurança e Saúde no Trabalho a adotar regras mais rigorosas para filmes pornográficos.

'Clandestinidade'

Representantes da indústria cinematográfica, porém, disseram que isso poderia empurrar produtoras e atores para a clandestinidade, o que causaria mais riscos de infecção.

"Se você criminalizar o trabalho sexual, você o torna mais perigoso", disse a a atriz pornô e jornalista SiouxsieQ.

A Free Speech Coalition, associação de empresas ligadas aos filmes adultos, disse estar aberta a mais discussões sobre padrões de segurança.

Desde 2012, atores pornôs trabalhando em produções filmadas especificamente em Los Angeles são obrigados a usar camisinha, por força de uma lei municipal aprovada pelo público. Em novembro, a imposição poderá ser estendida para toda a Califórnia em um referendo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos