Polícia procura DNA em faca 'encontrada em casa de OJ Simpson'

A polícia de Los Angeles está fazendo testes em uma faca que teria sido encontrada em uma casa onde morou o ex-jogador de futebol americano OJ Simpson, absolvido de assassinato em um julgamento que parou os Estados Unidos em 1995.

OJ Simpson foi acusado de matar sua ex-mulher e um amigo dela em junho de 1994. Após um longo, dramático e televisionado julgamento, porém, o júri declarou que ele não era culpado.

Anos atrás, uma pessoa que dizia ser um operário de construção entregou a faca a um policial à paisana, que teria guardado o objeto por pensar que se tratava de um caso que já estava encerrado.

A polícia recuperou a arma recentemente e está fazendo análises em busca de DNA e amostras de cabelo.

  • Leia também: Zika mata células de cérebros em desenvolvimento, aponta estudo americano
  • Siga a BBC Brasil no Twitter e no Facebook

Durante uma entrevista coletiva, porém, os policiais colocaram em dúvida a conexão da faca com o caso OJ Simpson - eles afirmaram que poderia se tratar, por exemplo, de uma arma adulterada.

"Se essa história é verdadeira, é sabido que, independente do momento em que você entra em contato com uma evidência de um crime, deve submetê-la aos investigadores", afirmou o agente Andrew Neiman, porta-voz da polícia de Los Angeles. "Eu não sei por que isso não aconteceu."

Citando fontes policiais, a rede americana NBC afirmou tratar-se de uma faca para uso doméstico - e que, por isso, não confere com a arma usada no crime.

OJ Simpson, que agora cumpre uma sentença de 33 anos de prisão por assalto à mão armada e sequestro em Las Vegas, não pode ser processado novamente pelo mesmo caso, segundo a legislação americana sobre assassinatos.

A ex-mulher dele, Nicole Brown, e o amigo dela Ronald Goldman foram encontrados no jardim da casa onde ela vivia. Seus corpos apresentavam golpes de faca na cabeça e na nuca.

  • Leia também: Por que só humanos têm queixo - e para que ele serve?

À época, autoridades pediram que o ex-atleta se entregasse, mas ele não compareceu ao posto policial. Horas depois, foi flagrado dentro de um carro branco, dando início a uma perseguição pelas vias de Los Angeles, televisionada ao vivo para milhões de pessoas.

Multidões também assistiram nas ruas à passagem dos veículos pela cidade, enquanto helicópteros dos canais de TV acompanhavam o trajeto. Ele acabou se rendendo uma hora e meia depois.

OJ Simpson contratou um supertime de caríssimos advogados, como Johnnie Cochran e Robert Kardashian, para cuidar de sua defesa.

  • Leia também: Copiloto conta como sobreviveu ao mais mortal acidente da aviação

O julgamento, que durou dez meses, provocou um frenesi midiático. Redes de TV atingiram altos índices de audiência transmitindo os procedimentos do júri, e incontáveis capas de revista foram dedicadas ao caso.

O ex-atleta perdeu depois um processo no qual era acusado de homicídio culposo pelas famílias das vítimas. Sua casa, onde a faca teria sido encontrada, foi demolida em 1998.

O caso voltou à tona recentemente com o lançamento da minissérieAmerican Crime Story: The People v OJ Simpson .

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos