Bélgica: identidades de vítimas, feridos e desaparecidos começam a vir à tona

Começam a vir à tona as identidades das centenas de pessoas que foram mortas, ficaram feridas ou estão desaparecidas após os atentados em Bruxelas, na Bélgica, na última terça-feira.

As explosões de três bombas no aeroporto da capital belga e na estação de metrô Maelbeek fizeram ao menos 31 vítimas. Estima-se em 250 o número de feridos.

________________________________________________________________

Adelma Tapia Ruiz, 37 anos, morta nos ataques

A peruana Adelma Tapia Ruiz foi a primeira vítima a ser confirmada, pelo próprio Ministério de Relações Exteriores do seu país.

Ela estava no aeroporto com seu marido, o belga Christophe Delcambe, e suas filhas gêmeas de 4 anos, Maureen e Alondra - os três sobreviveram.

Seu irmão, Fernando Tapia Coral, disse em entrevista que, pouco antes de a bomba explodir, Delcambe foi atrás das filhas - que haviam se afastado da área dos portões de embarque - e não conseguiu encontrar sua mulher após a detonação dos explosivos.

Delcambe e Maureen ficaram feridos, mas Alondra escapou ilesa.

Adelma viajaria para Nova York, nos Estados Unidos, onde encontraria suas irmãs, e planejava voltar ao Peru ainda neste ano após abrir um restaurante de comida peruana em Bruxelas.

Em um post no Facebook, o irmão da vítima disse que sua morte é "incompreensível". "É muito complicado descrever essa dor que estamos sentindo em casa, mas, como seu irmão mais velho, tenho que tentar fazer isso".

"É ainda mais difícil entender a forma como o destino tomou a vida de uma pessoa amada, (...) e não poder estar perto dela nesta tragédia que bateu à porta de nossa família. Descanse em paz, irmãzinha, e força para todos nós que te conhecemos. Será preciso um grande esforço para assimilar que não te veremos mais."

  • Leia também: Polarização cria 'bullying político' em escolas

________________________________________________________________

David Dixon, 51 anos, desaparecido

Dos quatro britânicos feridos nos ataques, o programador é o único que ainda está desaparecido.

Dixon estava indo para o trabalho de metrô, mas nunca chegou ao escritório. Parentes e amigos não conseguem entrar em contato com ele.

Sua mulher, Charlotte Sutcliffe, também vive em Bruxelas e tem visitado hospitais na esperança de encontrá-lo, segundo contou um amigo seu à BBC.

Este amigo, Simon Hartley-Jones, disse que o casal vive há dez anos em Bruxelas e tem um filho de 7 anos. Ele descreveu Dixon como um "cara amável" e "um homem incrível que amava profundamente seu filho".

O menino está hospedado na casa de amigos e ainda não sabe que o pai está desaparecido, segundo Hartley-Jones.

A irmã de Dixon, Marie, planeja viajar para a Bélgica para ajudar a procurar por ele. "Nem todos os feridos já foram identificados", disse ela à BBC. "Resta apenas esperar, o que é de partir o coração e muito preocupante."

________________________________________________________________

Sabrina Fazal, 24 anos, desaparecida

Amigos da estudante belga de Enfermagem disseram que ela estava no metrô quando os ataques ocorreram. Eles não conseguem entrar em contato com ela desde então.

Fazal tem um filho de 1 ano de idade chamado Heyden, que está com sua avó. Seu marido, Jonathan Selemani, está buscando por ela em hospitais com a ajuda de um amigo.

Segundo um amigo de Fazal, seu celular foi encontrado próximo à estação de Maelbeek. "Acreditamos que ela pode estar ferida. Estamos ligando para outros hospitais também", disse ele à BBC.

  • Leia também: Os dez cursos superiores do Brasil que estão entre os melhores do mundo

________________________________________________________________

Sebastien Bellin, 37 anos, ferido

Nascido no Brasil, Sebastien Bellin tem dois filhos e joga pela seleção de basquete belga. Ele estava em uma das primeiras fotos a virem a público do ataque ao aeroporto, deitado no chão com uma poça de sangue em volta de sua perna.

Bellin foi arremessado pela explosão e foi ferido por estilhaços em sua perna esquerda e no lado direito do quadril. As informações foram passadas por seu seu pai, Jean Bellin, que vive na Califórnia e se deu conta que seu filho havia sido atingido pelos ataques quando viu a imagem compartilhada na internet.

"Levando tudo em conta, meu filho está bem", disse ele à emissora CNN. "Ele passou hoje pela primeira cirurgia. Por ter ficado no chão por uma hora, ele perdeu muito sangue. Então, estabilizaram sua condição. Agora, será operado novamente. Falei com ele duas vezes. Obviamente está atordoado."

________________________________________________________________

Missionários mórmons, feridos

Quatro missionários ficaram feridos, três deles seriamente, na explosão no aeroporto, segundo a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias nos EUA.

Um deles, Mason Wells, de 19 anos, alega ter escapado por pouco do atentado a bomba na Maratona de Boston (EUA), em 2013, e ter estado em Paris durante os ataques de novembro.

Seu pai, Chad Wells, descobriu que o rapaz estava entre os feridos em Bruxelas após ligar para a igreja ao acordar e ver as notícias na TV. "Fique em choque. Um pai nunca quer acordar e passar por algo assim".

"Acho que isso fará dele uma pessoa mais forte. Talvez os ataques de Boston tenham sido uma experiência para prepará-lo para esta."

Dois outros missionários, Richard Norby, de 66 anos, e Joseph Empey, de 20 anos, eram do Estado americano de Utah. Ambos ficaram feridos com gravidade. Empey está bem após sofrer queimaduras de segundo grau nas mãos, no rosto e na cabeça, de acordo com seus pais Ele também foi operado por conta de ferimentos de estilhaços nas pernas.

Um quarto missionário, Fanny Clain, teve ferimentos leves.

  • Leia também: Como será possível ver os dois cometas que passarão 'raspando' a Terra nesta semana

________________________________________________________________

Sascha e Alexander Pinczowski, desaparecidos

Os dois irmãos de Nova York estavam falando ao telefone com parentes quando a ligação ficou muda. Desde então, a família não consegue mais contato com eles.

Seu pai disse à BBC que, quando a ligação foi interrompida, "parecia que eles haviam caído em uma vala".

________________________________________________________________

Raghaven Ganesan, desaparecido

Funcionário da empresa de telecomunicação Infosys, Raghaven Ganesan não é visto desde os ataques, segundo a companhia.

Seu irmão contou à BBC que eles costumavam se falar todas as manhãs, o que não ocorre desde terça-feira.

"Normalmente, nos telefonamos quando ele está a caminho da estação (de metrô). A última vez foi às 8h55 daquela manhã. Desde então, não conseguimos contatá-lo. Seus amigos já checaram todos os hospitais da cidade e não o encontraram, mas temos esperança."

________________________________________________________________

Buscas

Muitas outras pessoas ainda são buscadas em Bruxelas.

Amigos da belga Aline Bastin, de 29 anos, fizeram um apelo no Facebook por informações a seu respeito. "Provavelmente, ela estava no metrô naquela manhã. Estamos procurando por ela desesperadamente."

Olivier Delespesse não é visto desde que rumava para o trabalho no metrô. "Não temos notícias dele", escreveu um amigo seu.

Há poucas informações sobre outras vítimas e feridos. Ao menos oito franceses ficaram feridos, segundo autoridades da França, três dos quais encontram-se em estado crítico. Três italianos estão entre os feridos, de acordo com o governo do país.

Dois membros da tripulação da empresa aérea indiana Jet Airways ficaram feridos no aeroporto, segundo o jornalThe New York Times .

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos