Quatro estratégias que podemos aprender com o incrível sucesso do Leicester City

O conto de fadas do Leicester City - a equipe que "veio do nada" para conquistar o título da bilionária Liga Inglesa de Futebol - poderá render pelo menos US$ 217 milhões para o clube, de acordo com estimativas de analistas de finanças esportivas.

Mas como é que um pequeno clube da região central do Reino Unido, que jamais havia sido campeão nacional, conseguiu protagonizar um dos feitos esportivos mais impressionantes de todos os tempos?

Em uma era marcada pela presença de bilionários investindo fortunas em clubes de futebol, parecia praticamente impossível que um time mediano pudesse ultrapassar concorrentes mais abastados.

No início da temporada, as bolsas de apostas britânicas estimavam a cotação de 5 mil libras esterlinas (R$ 25 mil) para cada uma apostada em um título do Leicester. Na avaliação dos bookmakers, isso era ainda mais remoto que a chance de a socialite Kim Kardashian um dia ser presidente dos Estados Unidos.

  • Leia também: Ex-jogador da liga inglesa conta como foi alvo de tráfico sexual: 'Pensei que fosse morrer'
  • Siga a BBC Brasil no Facebook , Twitter e Flipboard

A história do Leicester City é tão extraordinária que já deu origem a rumores de uma adaptação cinematográfica. Mas será que o título foi tão milagroso assim? Abaixo, analisamos quatro segredos do sucesso do clube.

1. Recrutamento de baixo custo e eficiente

Analistas matemáticos hoje em dia são extremamente importantes para equipes esportivas. No Manchester United, por exemplo, eles são responsáveis por calcular o "elenco perfeito" - frequentemente compostos por jogadores com salários milionários. Na temporada passada, por exemplo, o Chelsea foi a campo com um time avaliado em mais de US$ 300 milhões e que contava com estrelas do futebol mundial.

O Leicester também usou analistas, mas seu orçamento de US$ 82 milhões foi aplicado de forma mais modesta: em vez de celebridades dos gramados, tiveram jogadores desconhecidos de divisões inferiores. Segundo a especialista em recursos humanos Jenny Amalfi, o sucesso do time dependeu fortemente de um recrutamento preciso. "A habilidade de obter as pessoas certas na hora certa e pelo preço certo pode significar a diferença entre sucesso e fracasso de um projeto", explica.

Para Amalfi, o Leicester mostrou-se um time bem organizado e em que todos os integrantes tinham um papel bem definido. "Isso é algo com que muitas equipes e organizações têm problemas", completa.

  • Leia também: Como o futebol está mudando a vida de mulheres no Irã

Uma das mais importantes contratações foi a do atacante James Vardy. Comprado do Fletwood Town por menos de US$ 2 milhões, valor irrisório para um jogador de futebol na Europa, Vardy não apenas foi o artilheiro do Leicester na temporada, com 22 gols, mas chegou à seleção inglesa.

Outro achado foi o argelino Riyad Mahrez: jogando na Segunda Divisão francesa, ele acabou contratado por acidente, já que o observador do Leicester que assistiu a uma partida de seu então clube, o Le Havre, buscava observar um outro colega de equipe que naquele dia.

2. Uso de habilidades fundamentais

"Em vez de apenas reagir à tática de seus adversários, o Leicester preferiu explorar seus pontos fortes, defendendo com vigor e usando a velocidade para superar os adversários", diz Amalfi. Especialistas em planejamento estratégico defendem que explorar as competências essenciais é a fonte da competitividade de uma empresa.

3. Veterano que não abandona sua filosofia

Apelidado de "eterno vice", o treinador italiano Claudio Ranieri esperou 30 anos para enfim ganhar um campeonato nacional. Ao assumir o Leicester, ele se concentrou em trabalhar com o talento que tinha à disposição. Chris Roberts, diretor de práticas da empresa de consultoria Accelerating Experience, lembra que o time de Ranieri não era composto por vencedores desde o início.

"Mas a política de recrutamento e a filosofia de trabalho árduo ajudaram o time a se estabilizar e manter sua potência."

  • Leia também: Como um celular pode esclarecer o misterioso desaparecimento em alto-mar de 2 adolescentes na Flórida

Ranieri fez apenas 27 mudanças em sua escalação ao longo das 38 rodadas da temporada da Liga Inglesa, um recorde na história do torneio. Ele também assumiu o compromisso de desenvolver cada jogador como um indivíduo e, ao mesmo tempo, o integrante de um time, o que resultou em um grupo trabalhador, passional e vencedor.

O mais curioso é que, em vez de oferecer mimos como carrões, Ranieri teve como estratégia permitir que os jogadores comessem pizza no almoço após vitórias.

4. Pensamento no longo prazo

Stuart Podmore, diretor de investimentos do fundo Schroders, em Londres, vê no sucesso do Leicester lições sobre paciência e investimento estratégico.

"O clube manteve-se fiel à tática de não mexer muito no time e de não ter medo (da concorrência)."

E as coisas deverão continuar assim: Ranieri já avisou que não tem a intenção de perseguir estrelas para reforçar o elenco do Leicester na próxima temporada.

  • Leia a versão original dessa reportagem (em inglês) no site BBC Capital .

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos